Recém-nascido morre e família acusa Hospital de Ribeirão Pires de negligência

Boletim de Boletim de Ocorrência é registrado e familiares cobram investigação de parto realizado pelo Hospital São Lucas

 

Recém-nascido morre e família acusa Hospital e Maternidade São Lucas de Ribeirão Pires de negligência. Foto: Divulgação

 

Um recém-nascido de três dias morreu nesta terça-feira (07/01) e os familiares acusam o Hospital e Maternidade São Lucas de Ribeirão Pires de suposta negligência. Um BO (Boletim de Ocorrência) foi registrado. Lourenzo Oscar Santos, era o primeiro filho do casal Márcia Aparecida Oscar, 29 anos, e André Luiz dos Santos, de 28 anos, moradores de Mauá.

Após a realização do parto e as complicações na saúde da criança, houve a transferência do bebê de Ribeirão Pires para o Hospital Mário Covas, conforme consta da ocorrência registrada no 1º DP (Distrito Policial) de Santo André.

De acordo com a tia da criança, Andréa Santos Miron, a cesárea foi feita sem a autorização da família. “No dia 4 de janeiro, com mais de 17 horas do rompimento da bolsa, mesmo sob interferência da mãe alegando não ter passagem, foi tentado e aguardado o parto normal. A criança estava de ponta cabeça, mas não foi feito nenhum exame ultrassom pelo hospital São Lucas e a criança teria sido empurrada e feita uma cesariana”, afirmou Andréa.

Ainda segundo a tia, a criança não chorou, foi imediatamente entubada e encaminhada ao Hospital Estadual Mario Covas, mas não resistiu e faleceu às 13h desta terça-feira.  .

“Por ter tido constatado algum tipo de violência ( traumatismo craniano) foi redigido um BO no 1º DP de  André  e iremos acionar um advogado, Ministério Público e Secretaria da Saúde de Ribeirão Pires, pois teve fórceps, indução de parto, violência obstétrica e negligência. Foi tudo preparado para a vinda do Lorenzo mas por irresponsabilidade profissional não temos nosso pequeno. Queremos justiça”, afirmou emocionada a tia do bebê.

O velório ocorre no Cemitério Vale dos Pinheirais de Mauá e o sepultamento será realizado, às 15h30 desta quarta-feira.

A Prefeitura de Ribeirão Pires foi procurada e emitiu nota oficial e afirmou que vai apurar o caso. Leia:

“A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Ribeirão Pires informa que está apurando, por meio do Comitê de Ética Médica do Hospital e Maternidade São Lucas, o atendimento prestado à pacientes Márcia Aparecida Oscar.

De acordo com informações que constam no prontuário médico, a paciente deu entrada na unidade hospitalar às 00h do dia 4 de janeiro. Estava em trabalho de parto inicial e foi assistida. Não houve registro de intercorrências até às 16h do mesmo dia, horário em que apresentou “quadro de distocia de rotação e progressão fetal”. Foi indicada, de acordo com registro de atendimento médico, resolução obstétrica, através de cesariana. O recém-nascido “apresentou intercorrências ao nascimento, sendo removido à Unidade de Terapia Intensiva do Hospital Mário Covas”.

Os fatos registrados no prontuário e relatados pela equipe médica e de enfermagem estão sendo apurados pelo Comitê de Ética Médica. A Prefeitura de Ribeirão Pires lamenta o falecimento do bebê e prestará todo o suporte necessário à família da paciente Márcia Aparecida Oscar. A Secretaria de Saúde trabalhará para, o mais brevemente possível, esclarecer o ocorrido, adotando as medidas necessárias ao caso”.