Proposta de Thiago Auricchio prevê abrigo de profissionais de saúde em hotéis

De acordo com deputado, 14 enfermeiros já morreram pela doença no Brasil e outras 12 mortes são investigadas

 

Proposta de Thiago Auricchio prevê abrigo de profissionais de saúde em hotéis. Foto: Divulgação

 

O deputado estadual Thiago Auricchio (PL) propôs ao governador João Doria a criação de um convênio entre o Estado e o setor hoteleiro para abrigar médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem que atuam no enfrentamento da pandemia do coronavírus.

“É uma iniciativa que já é praticada em outros países e tem dois objetivos principais, garantir que esses profissionais possam promover um isolamento próprio, reduzindo a possibilidade de contágio para familiares e vizinhos e na parte econômica que é o estímulo financeiro para um dos setores mais afetados pela pandemia”, explica o parlamentar.

De acordo com dados divulgados pelo Conselho Federal de Enfermagem, na última segunda-feira, 14 enfermeiros já morreram pela doença no Brasil e outras 12 mortes são investigadas. Além disso, 2214 profissionais foram afastados de suas funções com suspeita de Covid-19. Em São Paulo, foram registradas 7 mortes de enfermeiros.

“Infelizmente, por ser o maior estado da Federação, São Paulo registra 50% do número de enfermeiros que faleceram devido ao coronavírus. Precisamos encontrar maneiras de evitar que esses profissionais adoeçam e transmitam a doença para outras pessoas. Sabemos que alguns hotéis já tomaram essa medida por vontade própria e queremos ampliar isso”, pontua Thiago Auricchio.

Outras ações no combate ao coronavírus

O convênio entre o Governo do Estado e o setor hoteleiro é a terceira ação apresentada por Thiago Auricchio diretamente. Em março, antes mesmo do coronavírus ser considerado uma pandemia mundial, o deputado estadual apresentou projeto de lei que previa a criação da Política Estadual de Sanitização de Ambientes Públicos e Privados, para reduzir os riscos de contágio da doença no Estado.

Semanas depois, parlamentar sugeriu ao governador João Doria a antecipação da formatura de alunos de medicina de universidades ligadas ao Conselho Estadual de Educação para que eles pudessem atuar no combate da enfermidade.