Programa Coração de Estudante de S.Caetano informa sobre doença cardíaca

Mais de 600 alunos da EMEFM Arquiteto Oscar Niemeyer participaram da atividade nesta terça-feira

 

 

Mais de 600 alunos da EMEFM Arquiteto Oscar Niemeyer participaram da atividade nesta terça-feira. Foto: Divulgação/PSCS

O programa Coração de Estudante, de São Caetano, teve mais uma etapa realizada nesta terça-feira (15/10) com mais de 600 alunos da EMEFM Arquiteto Oscar Niemeyer, no Bairro Oswaldo Cruz.

O evento, que ocorreu pela manhã para alunos do Ensino Médio e à tarde para alunos do Ensino Fundamental, promoveu a capacitação em massa dos estudantes em ressuscitação cardiopulmonar e levou uma série de informações para promoção da saúde dos jovens.

“O Coração de Estudante é um programa intersetorial que envolve várias das nossas secretarias num grande movimento de informação e promoção da qualidade de vida. O mais importante é termos a consciência de que este conteúdo chega às famílias destes alunos que são, sem dúvida nenhuma, formadores e divulgadores de opinião”, disse a secretária de Saúde, Regina Maura.

O programa tem como um dos principais objetivos abordar medidas preventivas para evitar as doenças cardiovasculares, de forma lúdica. Os estudantes receberam todas as orientações para que tenham um estilo de vida saudável, associando uma alimentação equilibrada e atividade física regular.

Desde 2018, a ação conta com reforço de novas equipes das secretarias de Saúde, Esporte e Educação (fisioterapia, nutrição, enfermagem, assistência farmacêutica, agentes comunitários e dos médicos e socorristas do SOS Cidadão 156), além do apoio dos estudantes da Universidade de São Caetano do Sul (USCS) e Faculdade de Medicina do ABC (FMABC).

“Doenças do coração são as principais causas de morte no Brasil e no mundo. Com esse trabalho intersetorial e interprofissional, dentro dessa ação revolucionária que é o Coração de Estudante, sensibilizamos os alunos para que tenham mais consciência sobre a própria saúde e os preparamos para que saibam atuar em situações de risco”, complementou a coordenadora geral do Programa SBC vai à Escola, Carla Lantieri.

O diretor da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Fernando Costa, enalteceu o programa e falou com ênfase sobre a necessidade de tornar-se um programa nacional. “É muito mais do que uma simples possibilidade, chega a ser uma necessidade que o Coração de Estudante torne-se um programa nacional, que possa ser levado aos milhares de estudantes do país todo e, assim, divulgado para suas famílias. Hoje, infelizmente, temos 30 milhões de alunos que ainda não receberam informações sobre os riscos de doenças cardíacas e que teria acesso a elas e às formas de combatê-las se o Coração de Estudante fosse um programa nacional. É um apelo que fazemos a nossos governantes”, concluiu Costa.

Estiveram presentes, também, o diretor da Socesp (Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo) – Regional ABCDM, Kamal Yasbek, representantes das secretarias de Educação, Esporte, Lazer e Juventude e o diretor da escola, Edgar Casado Barreta Souza.

CIRCUITO

O Programa Coração de Estudante deste ano contou com sete etapas. Além da dinâmica com os socorristas do SOS Cidadão 156, os alunos passaram por outras seis atividades:

– Sala de Ressuscitação Cardiopulmonar (teatro) – aprendendo a salvar vidas. Disseminação da técnica da massagem torácica, com propósito de diminuir o número de mortes por parada cardíaca, tudo através de representação teatral com os alunos;

– Sala de Nutrição – alimentação saudável. Atividades lúdicas desenvolvidas por nutricionistas sobre o tema alimentação saudável, incluindo a preparação de lanches e explicação sobre o uso das plantas alimentares não convencionais (PANCs), aproveitamento de alimentos e qualidade da alimentação;

– Sala de Atividades Físicas – vida ativa. Os alunos passaram por atividades de alongamento, relaxamento e aprenderam sobre a prática de atividade física de forma consciente e responsável. A equipe da Assistência Farmacêutica abordou os riscos do uso de drogas, narguilé, álcool e uso incorreto de medicamentos. Um semáforo foi utilizado para sinalizar os riscos que alguns comportamentos trazem à saúde: vermelho/alto risco, amarelo/atenção e verde/hábitos saudáveis;

– Salas de Relaxamento – Os alunos receberam instruções de como realizar o relaxamento, para que serve e para atacar um dos fatores de risco de doenças cardiovasculares e o estresse é um deles. Foram ensinadas técnicas de meditação, relaxamento, massagens, através de músicas, respiração, entre outros métodos;

– Sala de Estudos Multimídia – Os estudantes responderam o Questionário Internacional de Atividade Física (IPAQ) sobre diversidade alimentar e consumo de ultraprocessados.