Prefeitos recuam e ônibus não vão mais parar dia 29 no ABCD

Decisão ocorreu depois de reunião por videoconferência com os secretários estaduais de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi

 

Prefeitos recuam e ônibus não vão mais parar dia 29 no ABCD. Foto: Divulgação/PSA-Angelo Baima

 

Os sete prefeitos do ABCD recuaram e decidiram que os ônibus não vão parar mais no dia 29 de março,  conforme havia deliberado em Assembleia realizada na semana passada no Consórcio Intermunicipal Grande ABC. Em outra reunião feita por videoconferência nesta na manhã desta terça-feira (24/03), a decisão foi outra após argumentos usados pelos secretários estaduais de Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, e de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi.

De acordo com nota emitida pela instituição, após reavaliação e estudos técnicos tanto do Governo do Estado, com base nas linhas da CPTM, do Metrô, da Metra e outras linhas que interferem no sistema de transporte público municipal com o Grande ABC, e com os estudos técnicos das Secretarias de Mobilidade dos sete municípios, ficou estabelecido entre as Prefeituras e o Governo do Estado que, a partir da 0h de 29 de março (domingo), o Transporte Coletivo Municipal das sete cidades será realizado com frota de 50% nos horários de pico e de 30% nos demais horários. Aos fins de semana e feriados a frota será de 30% nos horários de pico e de 15% nos demais horários.

“Uma decisão responsável que tem por objetivo atender as atividades essenciais e excepcionais de acordo com a demanda e peculiaridade de cada município”, informou a nota.

A interrupção do serviço de forma gradativa até o 28 de março (sábado) será mantida, conforme decisão anterior.

“A medida faz parte de um esforço regional para conter o avanço do novo coronavírus (Covid-19), que configura pandemia. A decisão do Consórcio ABC junto às Prefeituras e ao Governo do Estado é passível de revisão a qualquer momento, como todas as medidas no combate à pandemia. A população nesse momento de crise deve colaborar com o poder público e sair de casa somente se for estritamente necessário. Portanto, todos devem ficar em casa para conter a pandemia do Covid-19”, completou o Consórcio.