15 de junho de 2021

Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morre aos 41 anos

Mais visitadas

Político lutava contra o câncer desde 2019, mas seu quadro piorou nos últimos dias

Prefeito de São Paulo Bruno Covas morre aos 41 anos. Foto: Divulgação

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, morreu neste domingo (16/05) aos 41 anos. O político lutava contra um câncer metastático desde 2019 e nas últimas semanas apresentou pioras. O tucano deixa um filho chamado Tomás Covas Lopes, de 15 anos.

Parentes e amigos de Covas permaneceram no hospital desde que os médicos informaram nesta sexta-feira (14/05) que seu quadro de saúde era irreversível. Neste mesmo dia, um sacerdote da Igreja Católica realizou no Sírio Libanês o sacramento chamado Unção dos Enfermos.

Neste sábado à noite (15/05), representantes de várias religiões fizeram uma cerimônia  ecumênica de meia hora na porta do hospital e foi concluída com a oração do Pai Nosso.

O estado de saúde do chefe do Executivo da Capital Paulista começou a piorar no dia 2 de maio, quando os médicos que o atendem descobriram um sangramento no local de seu tumor inicial. Neste mesmo dia, antes de ser intubado, ele encaminhou à Câmara Municipal um pedido de afastamento do cargo por um período de 30 dias, para dar prosseguimento ao seu tratamento contra o câncer. O cargo de prefeito passou então a ser assumido por seu vice, Ricardo Nunes.

No dia seguinte, o sangramento foi estancado e ele foi extubado, mas seguiu internado no Hospital Sírio-Libanês, sem previsão de alta. “Mais uma batalha vencida”, disse Bruno em postagem em seu perfil no Instagram na ocasião.

Alguns dias depois, em 6 de maio, ele passou por uma sessão de radioterapia para controlar um sangramento residual no estômago.

Domingo passado (09/05), Covas postou uma foto no Instagram para desejar feliz dia das mães. Sempre otimista quanto ao seu tratamento, postou: “Continuo a lutar aqui no hospital. Sem baixar a cabeça e sem perder minha motivação. Muita força, foco e fé. E espero logo estar junto de vocês para agradecer por todo carinho”, disse o prefeito que ainda fez uma homenagem a sua mãe, Renata Covas Lopes.

Visitas

Nos últimos dias, Bruno Covas recebeu algumas visitas, entre elas a do governador João Doria. Foto: Divulgação

Bruno Covas recebeu algumas visitas nos últimos dias, entre elas os familiares e o governador João Doria, no último dia 10. Também foram ao Hospital Sírio Libanês o prefeito em exercício, Ricardo Nunes (MDB) e o presidente da Câmara Municipal, Milton Leite (DEM).

Nesta quinta-feira (13/05), o prefeito também recebeu o vice-governador Rodrigo Garcia, que se filiou ao PSDB nesta sexta-feira (14).

Diagnóstico do Câncer

Bruno Covas foi diagnosticado com um adenocarcinoma em outubro de 2019, um câncer na região da cárdia, entre o esôfago e o estômago, com metástase no fígado e uma lesão nos linfonodos. Após o diagnóstico, ele iniciou um tratamento de quatro meses de quimioterapia.

Em fevereiro de 2021, Covas passou por um novo tratamento quimioterápico após os médicos descobrirem um novo nódulo no fígado. Em meados de abril, exames de controle demonstraram novos pontos da doença no fígado e nos ossos. Com isso, os médicos decidiram dar continuidade ao tratamento com quimioterapia, além de imunoterapia. Esse tratamento teve que ser interrompido quando o sangramento na região do estômago foi descoberto.

Prefeito de São Paulo ficou internado no hospital Sírio Libanês para tratamento contra um câncer e nunca perdeu o otimismo. Foto: Divulgação

Biografia

Bruno Covas Lopes nasceu em Santos, em 7 de abril de 1980. Ele era filho de Pedro Lopes, engenheiro da Autoridade Portuária de Santos, e Renata Covas, a única filha mulher do ex-governador Mário Covas e Lila.

Bruno sempre se espelhou no avô que, além de governador entre os anos 1995 e 2001, também foi prefeito de São Paulo na década de 1980.

Desde criança se interessou por política e aos 9 anos de idade começou a participar do “Clube dos Tucaninhos”. Até hoje, Bruno guardava a  carteirinha de filiação do PSDB, seu único partido em toda sua carreira.

Desde criança se interessou por política e aos 9 anos de idade começou a participar do “Clube dos Tucaninhos”. Foto: Divulgação/PSDB

A ligação era tão forte com o avô que na adolescência, aos 14 anos, deixou a cidade de Santos e foi morar na Capital Paulista com Mário Covas, que na época residia no Palácio dos Bandeirantes, sede oficial do governo do Estado.

Bruno Covas era o neto favorito do ex-governador Mário Covas. Foto: Reprodução/TV Globo

O prefeito era advogado formado pela USP (Universidade de São Paulo) e economista formado pela PUC (Pontifícia Universidade Católica de São Paulo).

Em 2003, foi eleito presidente estadual e já foi também presidente nacional da Juventude Tucana em 2007, permanecendo no cargo até 2011. A sua carreira começou em 2004, ano que se candidatou a vice-prefeito de Santos na chapa de Raul Christiano pelo PSDB. Nos anos de 2005 e 2006, foi assessor da liderança do Governo de Geraldo Alckmin e Cláudio Lembo na Assembleia Legislativa.

Em 2006, foi candidato a deputado estadual, sendo eleito com 122.312 votos, umas das maiores votações naquela eleição. Em 2010, se reelegeu com 239.150 votos, sendo mais de 131 mil só na capital paulista. Ele foi  mais votado naquele pleito.

Bruno Covas foi convidado por Geraldo Alckmin para assumir a Secretaria do Meio Ambiente, a partir do início de 2011, ocasião em que se licenciou do cargo de deputado estadual.

Bruno se elegeu deputado federal em 2014, para a 55.ª legislatura (2015-2019). Votou a favor do Processo de impeachment de Dilma Rousseff. Já durante o Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos.

Bruno Covas se elegeu vice-prefeito em 2016 na chapa encabeçada por João Doria, que renunciou ao cargo um ano e meio depois para disputar o governo do Estado.

Com a renúncia de Doria, o tucano assumiu o comando da Prefeitura e, em 2020, disputou a reeleição e saiu vitorioso nas urnas o obter no segundo turno 59,38% dos votos válidos contra Guilherme Boulos (PSOL).

Neto do ex-governador Mário Covas, Bruno teve uma carreira política vitoriosa e foi deputado estadual e federal, secretário do meio ambiente, vice-prefeito e prefeito da capital paulista. Foto: Agência BrasilVelório 

O velório de Bruno Covas será realizado na Prefeitura de São Paulo, em cerimônia restrita a 20 pessoas. Posteriormente, o caixão será levado em um caminhão do Corpo de Bombeiros, passando pela Avenida Paulista, com destino a Santos, sua cidade natal, onde será enterrado.

Nota de pesar

Vários políticos estão prestando homenagens ao prefeito. No ABCD, o prefeito Paulo Serra emitiu uma nota. “São Paulo se entristece hoje com a morte do jovem prefeito Bruno Covas. Lutou com muita força, mas foi chamado por Deus. Deixa um bonito legado de luta por mais igualdade, oportunidades e justiça que fica vivo nos nossos corações. Em nome de Santo André, quero deixar nossos sentimentos e orações aos familiares e amigos”, disse.

Paulo Skaf, presidente da Fiesp e do Ciesp, também lamentou a morte. “Perdemos hoje um jovem talento da política brasileira. Cedo demais o prefeito Bruno Covas se foi. Assim como seu avô, o governador Mario Covas, lutou bravamente pela vida e honrou o mandato que recebeu do povo paulistano até o final, sempre com altivez. Fica o exemplo de transparência e garra com que enfrentou a doença, além do espírito público com o qual serviu a sociedade nos vários cargos que ocupou em sua breve e produtiva trajetória. Quero expressar à família e aos amigos meus mais profundos sentimentos”, disse.

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando (PSDB), disse que a notícia do falecimento do amigo lhe trouxe um sentido de tristeza e perda e ressaltou a coragem de Bruno na luta contra o câncer. Morando foi deputado estadual junto com o tucano.

“Foi com bravura e coragem que Bruno Covas batalhou contra o câncer. A notícia de sua partida na manhã de hoje, depois de quase dois anos de luta, traz consigo um sentimento estarrecedor de tristeza e perda. Perdemos. Mais do que um brilhante quadro político, perdemos um homem de coração e coragem, um pai, um amigo querido. Assim como seu avô, Bruno ficará na história por seu trabalho e integridade. Que seja recebido por Deus e pelos que amou e que também já se foram. Sua luta e história de força, foco e fé não serão esquecidas. Descanse em paz, amigo. Você foi um guerreiro”, afirmou morando.

Prefeito Orlando Morando lamentou a perda do amigo Bruno Covas. Foto: Divulgação

Solidariedade

O prefeito em exercício de São Caetano, Tite Campanella (Cidadania), também postou em sua página do Facebook uma nota de solidariedade. “Toda a minha solidariedade com os familiares e amigos do prefeito de São Paulo, Bruno Covas, que faleceu nesta manhã, vítima de câncer. Após muita luta, que você possa descansar e olhar por todos ao lado do Pai”, afirmou.

O prefeito de Diadema, José de Filippi Júnior se solidarizou com os parentes. “Meus sentimentos aos familiares e amigos do prefeito Bruno Covas, vítima de câncer e que partiu hoje tão jovem, com apenas 41 anos. Ele lutou bravamente contra esta doença e deixou um exemplo de força pra todos nós.”

O prefeito de Mauá, Marcelo Oliveira (PT), também ressaltou a questão da luta contra a doença. “Que Deus dê a força necessária para que familiares e amigos atravessem este momento difícil e que Bruno Covas descanse em paz.”

O prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PL), também destacou a coragem para enfrentar o câncer. “Herdou a grandeza do avô (meu grande amigo, Mário Covas), e tinha um futuro brilhante na vida pública, que infelizmente o câncer interrompeu. Peço a Deus que conforte o coração de seu filho Tomás e de toda sua família”, disse Volpi que já foi deputado estadual presidente estadual do PSDB.

O site da Prefeitura de Rio Grande da Serra, liderada pelo prefeito Claudinho da Geladeira (Podemos), também homenageou Bruno Covas. “A Prefeitura de Rio Grande da Serra, em nome de todos os seus servidores, lamenta profundamente que Bruno Covas tenha partido tão jovem, e deseja que todos os familiares e amigos encontrem forças para superar esse momento tão difícil.”

Amigos e parceiros na política

O governador João Doria também fez uma homenagem emocionante ao amigo. A parceria política de ambos teve início em 2016 quando foram eleitos no primeiro turno para comandar a Prefeitura da Capital Paulista.

Leia a íntegra da nota: 

“Obrigado Bruno Covas, por ter compartilhado, com todos nós, tanto carinho e dedicação. À Renata e ao Pedro, seus Pais, Gustavo, seu irmão e especialmente Tomás, seu filho, meu afeto nesse momento doloroso em que a natureza subverte o curso da vida. São Paulo terá sempre muito orgulho desse filho querido.

A força de Bruno Covas vem do seu exemplo e do seu caráter. Foi leal à família, aos amigos, ao povo de São Paulo e aos filiados do seu partido, o PSDB. Sua garra nos inspira e seu trabalho nos motiva.

Tive o privilégio de acompanhá-lo desde o início da vida pública, ao lado do seu avô Mario Covas. Tive a honra de tê-lo como vice, na prefeitura de São Paulo. E a alegria de ver seus ideais e realizações aprovados nas eleições de 2020.

Bruno Covas era sensível, sereno, correto, racional, pragmático e ponderado. Voz sensata, sorriso largo e bom coração. Bruno Covas era esperança. E a esperança não morre: ela segue, com fé, nas lições que ele nos ofereceu em sua vida.

Muito obrigado, Bruno. Você foi e continuará sendo para todos nós, um eterno exemplo.”

Governador João Doria também fez uma homenagem ao amigo. Foto: Divulgação

 

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações