Morando é eleito suplente da executiva nacional do PSDB

 Tucano é o primeiro da região do ABCD ao alcançar o posto na convenção nacional, realizada nesta sexta-feira, em Brasília

 

prefeito
Convenção nacional do PSDB aconteceu nesta sexta-feira, em Brasília. Foto: Divulgação


O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, foi eleito membro suplente da Executiva Nacional do PSDB, em convenção que ocorreu nesta sexta-feira (31/05), em Brasília (DF) e que alçou o ex-ministro e ex-deputado federal Bruno Araújo (PE) como presidente nacional do partido para um mandato de dois anos. O chefe do Executivo esteve na capital federal acompanhado da deputada estadual e líder do PSDB na Assembleia Legislativa, Carla Morando. Nas primeiras discussões Morando seria titular, mas, posteriromente, houve algumas articulações e a vaga ficou para Duarte Nogueira, prefeito de Ribeirão Preto.

“O novo PSDB começa agora. O momento é de posicionamento e liderança de encontro ao anseio da sociedade. Esta premissa é o que norteou esta eleição que tem um expoente importante como nosso governador João Doria e a habilidade do nosso presidente Bruno Araújo”, disse Morando.

O ato contou com a presença de muitos filiados, de várias partes do país, entre lideranças antigas com os ex-governadores Geraldo Alckmin e José Serra.

Primeiro

O prefeito Orlando Morando é o primeiro tucano do Grande ABC a alcançar o posto na Executiva Nacional. O chefe do Executivo mantém relacionamento estreito com o governador de São Paulo, João Doria.

Tanto Morando quanto o novo presidente da legenda, Bruno Araújo, fazem parte do grupo mais jovem do partido, apelidado de “cabeças pretas”. A expressão sinaliza o contraste com o outro grupo, formados por políticos mais velhos, os “cabeças brancas”. Durante seu discurso, o governador enfatizou a importância deste momento para o PSDB.

“As raízes devem ser mantidas. Não precisamos apagar nossa história. É isso que o povo espera do PSDB, que respeite sua história, mas que também seja protagonista de sua história”, afirmou Doria.

Durante sua fala, Araújo afirmou que a legenda pagou “algum preço” pelas suas “hesitações” no passado. Acrescentou que a missão agora é “assumir compromissos firmes”, e o primeiro teste será a Reforma da Previdência.