PM apreende remédios em ONG que vereador de Diadema é advogado

Parlamentar Rodrigo Capel nega que faça distribuição de medicamentos na cidade e se diz perseguido politicamente com denúncia

 

Polícia encontrou remédios, todos de amostra grátis, e alguns com validade vencida. Foto: Elias Lubaque – Grupo ABC News

 

A PM (Polícia Militar) realizou a apreensão de uma carga de medicamentos, na tarde de quinta-feira (19/09), na Rua Vereador Júlio Agostinho, em Diadema. Os remédios são distribuídos por uma ONG (Organização Não-Governamental), cujo advogado é o vereador Rodrigo Capel (PV).

A PM foi acionada, por volta das 15h30, para atender uma denúncia de uma doação de medicamentos realizada em uma residência. O denunciante contou que descobriu que os produtos eram entregues gratuitamente, em nome do vereador Rodrigo Capel.

Em um veículo, estacionado na frente da residência, foram localizadas duas caixas de medicamentos.  Dentro do local, encontraram mais produtos, todos de amostra grátis – alguns com validade vencida e no chão.

De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Estado, uma mulher, que é secretária da Organização Não-Governamental, informou que o prédio é utilizado para armazenar medicamentos adquiridos através de doações de laboratórios. Também afirmou que o vereador é o presidente da organização.

Os envolvidos foram conduzidos à delegacia, onde foram ouvidos e liberados. Foi solicitado o apoio da Vigilância Sanitária e do Departamento de Saúde Pública, para identificação de qualquer desvio nos medicamentos.

O caso foi registrado como localização/apreensão de objeto no 2° DP (Distrito Policial) de Diadema, que ficará responsável por inquérito e investigação.

Outro lado

O vereador Rodrigo Capel nega que seja presidente da ONG. “Sou apenas o advogado que está cuidando dos documentos para a regularização da ONG. Está tendo mal entendido, é uma perseguição política. Na página do Facebook da pessoa que fez a denúncia, existe uma série de acusações contra os vereadores. O prédio não é meu. O contrato de aluguel não está no meu nome. Sou o advogado não só dessa ONG como também de muita gente que me procura para regularizar Ongs”, disse.

De acordo com o parlamentar, já foi dada entrada na documentação no cartório e no Conselho Regional de Farmácia para regularizar a entidade. “Não tem nada de ilegal lá. Existe um projeto para a distribuição de remédio que é supervisionado por um médico e um farmacêutico. Todos os remédios são amostras grátis, não têm valor econômico. Para fornecer o medicamento, é necessária a receita médica e uma pessoa vai até o local onde a pessoa mora para saber a necessidade”, explicou.

O vereador admitiu que há remédios vencidos, mas informou que tudo está sendo regularizado. “Querem vincular que eu estou distribuindo medicamentos e isso não é verdade. Querem me queimar politicamente”, concluiu Rodrigo Capel.

 

Policiais encontraram medicamentos no chão. Foto: Elias Lubaque – Grupo ABC News