No Ferrazópolis, prefeito de S.Bernardo faz liberação viária e vistoria encostas

Rua Regente Lima e Silva precisou de trecho interditado, após ser atingida pelas fortes chuvas de março

 

Rua Regente Lima e Silva precisou de trecho interditado, após ser atingida pelas fortes chuvas de março. Foto: Divulgação/PSBC-Omar Matsumoto

 

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, autorizou nesta quarta-feira (20/11) a liberação viária da Rua Regente Lima e Silva por completo, no bairro de Ferrazópolis, para o tráfego de veículos e pedestres. A via estava com trecho interditado desde o dia 11 de março, após registrar deslizamento de terra, provocado pelas fortes chuvas. Na ocasião, o município foi acometido por 177 mm de água, entre 18h, do dia 10/03, e 9h, do dia 11/03.

Na companhia do vice-prefeito e secretário de Serviços Urbanos, Marcelo Lima, e demais técnicos da administração, o prefeito Orlando Morando ajudou as retirar os tapumes que interditavam a via, além de confirmar o retorno do transporte coletivo pela localidade, com as linhas 18, 53 e 149, ligando as regiões do Limpão, Jardim Selecta e Silvina, entre outros.

“Esse local foi bastante prejudicado com a chuva de março. Infelizmente, administrações municipais não trabalharam prevenções de forma devida, o que provocou muita insegurança com os deslizamentos. Hoje, conseguimos liberar esta via, que vai auxiliar muita a locomoção de moradores, além certificar a boa execução das obras de talude, que serão entregues no próximo mês, mas que não oferecem mais risco algum”, disse o prefeito.

Após ser atingida pelo alto volume de água, a Prefeitura de São Bernardo decretou estado de calamidade pública e trabalhou por medidas emergenciais para atender todos os moradores prejudicados à época. Em relação aos deslizamentos, nove locais receberam obras de intervenção em um pacote de R$ 34 milhões. Todos os projetos serão entregues juntos em dezembro.

MORADORES

O porteiro Emerson Ilarino, 33 anos, que sempre residiu na Rua Regente Lima e Silva lembrou dos estragos causados pela chuva, mas ressaltou a satisfação com o avanço dos serviços.

“A chuva que ocorreu em março foi a pior que já vi. A rua ficou com muita lama, felizmente não feriu ninguém. Mas, achava que não seria capaz de recuperar. Hoje, estou feliz com que vejo”, comentou.

Para o ajudante-geral Vagner Oliveira Rosa, 38 anos, a liberação viária vai ajudar muito sua locomoção ao trabalho. “Para mim, quando os ônibus deixaram de passar aqui na rua ficou muito ruim. Precisei de outro itinerário. Agora, tudo está melhorando. A segurança com as chuvas e a nossa rotina”, afirmou.