Moradores reclamam de baile funk em Diadema no fim de semana; Veja vídeo

Munícipes se queixam da ausência do Tempestade para por fim ao pancadão  com jatos d´água

 

 

Moradores do bairro Campanário, em Diadema, afirmam que no fim de semana houve baile funk que teve início às 22h de sábado (22/08) e só terminou às 7h da manhã do domingo (23/08). “O baile aconteceu em um local chamado Vermelhão. Cadê o caminhão Tempestade que não apareceu pra por fim ao pancadão? indagou um morador que preferiu não se identificar. O veículo Tempestade é equipado com jato d’água para dispersar pessoas em festas de rua.

O munícipe enviou o vídeo ao ABCD Jornal e afirmou que a maioria dos jovens não utilizavam máscaras em plena pandemia. “Se o Tempestade tivesse sido usado, teria acabado com essa festa irregular, pois só a presença do caminhão já dispersa as pessoas”, reclamou o morador.

A Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Diadema informou que a GCM (Guarda Civil Municipal) esteve em operação nas ruas Platina e Botocudos na noite de sábado e na madrugada de domingo.

Segundo a Prefeitura, aa Rua Platina foram apreendidos três veículos por som alto (sendo dois que promoviam a festa irregular) e mais um veículo e uma moto removidos ao pátio pelo CTB (Código de Trânsito Brasileiro).

Ainda de acordo com a administração, na Rua Botocudos, dois veículos foram removidos ao pátio por som alto e uma moto pelo CTB.

“Equipes da GCM fizeram patrulhamento preventivo no local no início da noite e não houve indícios de realização de festa irregular de rua. A GCM não tem nessa data registro de chamadas referentes a esse local. Cabe orientar à população que quando ligar para o 153 (Guarda Civil Municipal) ou para 190 (Polícia Militar) optem preferencialmente por realizar a chamada de um telefone fixo, já que dependendo da operadora e da área, antenas das empresas de telefonia podem direcionar a chamada para cidades vizinhas”, afirmou a Prefeitura.

Ao ser questionada sobre o uso do Tempestade, equipado com jato d’água, a Prefeitura alegou que é destinado a operações especiais, entre elas aquelas que reúnem grande número de pessoas, como é o caso das festas irregulares de rua, quando outros meios de dispersão não são suficientes.

“A ação é realizada por equipes treinadas para esse tipo de operação e com grande conhecimento de todas as áreas, garantindo que a dispersão seja conduzida de forma a garantir rotas de fuga para as pessoas sem colocá-las em estado de pânico, garantindo a integridade física de todos”, concluiu.

Moradores de Diadema reclamam de baile funk no fim de semana. Foto: Reprodução

 

1 Comentário

  1. Alem de fezes, o que mais existe dentro da cabeça destes imundos ?, pessoas insanas, ouvindo e curtindo imundices, que futuro terão em vida?, pois na morte com certeza curtiram esses mesmos bailes no inferno, com o DJ satanás!!!

Comments are closed.