Ministro da Saúde defende o adiamento das eleições por causa do coronavírus

Mandetta disse a prefeitos que disputa eleitoral no meio do ano e com pandemia seria uma ‘tragédia’

 

Luiz Henrique Mandetta defende que eleições deste ano sejam adiadas. Foto: Agência Brasil

 

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, defendeu neste domingo (22/03)  que as eleições municipais deste ano sejam adiadas devido à pandemia de coronavírus. O primeiro turno da disputa está marcado para o dia 4 de outubro, quando os eleitores vão ás urnas para escolher prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.

“Eu faço aqui até uma sugestão para vocês discutirem. Está na hora de o Congresso olhar e falar: olha, adia (as eleições municipais)”. Faça um mandato tampão desses vereadores e prefeitos. Eleição no meio do ano… uma tragédia. Vai todo mundo querer fazer ação política. Eu sou político. Não esqueçam disso”, disse o ministro.

Há várias articulações no País para que isso ocorra, inclusive, no ABCD. Em Mauá, a Câmara aprovou moção de autoria do vereador Manoel Lopes (DEM) que pede o adiamento e que sejam usados R$ 2 bilhões destinado a esse pleito n Brasil para combater a disseminação do coronavírus.

O partido Podemos já divulgou que vai impetrar no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) solicitação de adiamento das eleições, ao menos até dezembro.

O líder do partido na Câmara dos Deputados, Léo Moraes (RO), justificou que todo o calendário eleitoral, como realização de convenções, preparação do processo – como teste com urnas eletrônicas – propaganda e propriamente os dias de votação nos dois turnos – 4 e 25 de outubro – coincidirá ainda com a presença da epidemia do coronavírus no País.