Mauá quer rever contrato após BRK barrar redução de tarifa de esgoto

Decisão foi tomada porque empresa entrou na Justiça para questionar redução de até 20% na taxa de esgoto

 

Prefeito Atila vai questionar contrato depois que a empresa BRK conseguiu liminar na Justiça para barrar redução de até 20% na taxa de esgoto. Foto: Divulgação/PMA-Caio Arruda

A Prefeitura de Mauá emitiu uma nota oficial na qual diz que vai reavaliar o contrato com a BRK, empresa que tem a concessão do serviço de esgoto na cidade. Tudo porque a BRK foi para a Justiça e barrou a redução de até 20% a tarifa conforme determinação do prefeito Atila Jacomussi.

“Diante dessa manifestação clara da BRK na contramão da população de Mauá, faremos uma nova análise sobre o contrato da prestadora de serviços, tendo em vista que há também o interesse da Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo), em vias de assumir a gerência de abastecimento de água na cidade, de prestar serviços no sistema de saneamento do esgoto”, informou o Paço.

“Lamentamos que a concessionária BRK Ambiental, responsável pela coleta e tratamento de esgoto no município, tenha acionado a Justiça contra a redução de até 20% da tarifa de esgoto, a partir de janeiro de 2020, sob alegação de um questionável desequilíbrio financeiro, na contramão dos anseios populares. Informamos que temos total sensibilidade às necessidades da população, principalmente em um cenário no qual o país ainda se recupera economicamente”, completou o governo municipal.

A Prefeitura entrará com um agravo para recorrer da decisão, a fim de que as medidas previstas no decreto 8.606, já publicado no Diário Oficial, sejam mantidas, além da garantia de todas as ações cabíveis e necessárias para reverter o mandado de segurança impetrado na esfera municipal.

O prefeito Atila Jacomussi também emitiu uma nota oficial. Leia a íntegra

“Defender o povo é enfrentar os interesses dos ricos: não vamos desistir da redução da tarifa de esgoto, porque Mauá não aguenta pagar esgoto mais caro que a água

 Sempre soube que defender os interesses do povo de Mauá seria uma luta tipo de Davi contra Golias, mas não desistirei, porque essa é a minha sina e será o meu legado. É lamentável a postura da BRK Ambiental em acionar a Justiça contra a redução da tarifa de esgoto em até 20% a partir de janeiro de 2020, alegando desequilíbrio financeiro. Mas na verdade, quem sofre mesmo é o trabalhador e a trabalhadora de Mauá, esses sim, que têm família para sustentar. O dinheiro não pode ficar acima do bem-estar da população, tão machucada pelos descasos dos meus antecessores. Por isso, vamos rever o contrato da BRK, porque é inadmissível que um prestadora de serviços vá na contramão do povo da cidade e vamos recorrer para manter essa conquista para Mauá!

 

Prefeito Atila Jacomussi