Marcos Michels pode desistir de candidatura a deputado e disputar Paço em 2020

 Redes sociais veicularam foto de reunião entre prefeito, vereadores e o deputado federal Alex Manente

Foto de vereadores, prefeito Lauro Michels e deputado Alex Manente circulou pelas redes sociais neste domingo. Foto: Facebook

O presidente da Câmara de Diadema, Marcos Michels (PV), estuda a possibilidade de desistir da candidatura a deputado estadual neste ano para sair candidato a prefeito em 2020 com o apoio do prefeito Lauro Michels (PV). Esse foi o principal assunto entre os políticos na cidade neste domingo (10/06), um dia depois de uma reunião no Paço com a presença de vereadores, chefe do Executivo e o deputado federal Alex Manente (PPS). Até uma selfie feita pelo celular de Alex circulou pelas redes sociais.

Marcos tem resistido à ideia de desistir da candidatura, mas um projeto a longo prazo pode por fim às polêmicas com o primo prefeito. Caso o presidente da Câmara aceite a proposta, Lauro deve apoiar para deputado estadual Márcio da Farmácia (Podemos), seu atual vice, e Alex Manente para federal. Regina Gonçalves (PV) também deve ter parte do apoio do prefeito já que foi sua secretária.

Marcos Michels foi procurado, mas não deu retorno para se posicionar sobre o assunto até o fechamento da reportagem. Políticos da cidade e próximos a Marcos consultados pelo ABCD Jornal informaram que o presidente da Câmara deve decidir seu futuro político nesta semana, mas antes consultará seus apoiadores.

Reunião

Ao ser procurado pela reportagem, Alex se limitou a dizer que houve discussão sobre eleições 2018, bem como maneiras de conseguir mais verbas para Diadema. “Como sempre fazemos, discutimos as estratégias de busca de recursos e balanço do espaço que temos no governo, o que faço em todas as prefeituras”, afirmou o deputado sem dar detalhes da reunião.

Na cidade, o deputado deve contar com o apoio dos vereadores Pretinho do Água Santa (DEM), Salek Aparecido Almeida (DEM), Audair Leonel (PPS), Companheiro Sérgio (PPS), Paulo Bezerra (PV) e Marcos.