Líder de Atila na Câmara tem candidatura indeferida pela Justiça

Defesa de Bodinho acredita que vai reverter decisão no TRE

 

Bodinho, líder do prefeito de Mauá na Câmara, enfrenta problemas na Justiça Eleitoral. Foto: Gislayne Jacinto

 

Vereador de Mauá e líder do governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB) na Câmara, Bodinho Garcia (Patriota) teve o registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral. A defesa disse já ter recorrido no TRE (Tribunal Regional Eleitoral).

O advogado Antonio Lindomar Pires disse que o processo que foi levando em consideração para indeferir a candidatura de Bodinho não está transitado e julgado e , por isso, acredita que a Corte vai rever a decisão de primeira instância.

“Em que pese ter saído acórdão, não transitou em julgado. Nós embargamos e a decisão pode ser modificada. Em primeira instância foi julgado que não houve lesão ao erário público e, por isso, temos grande chances de reverter”, afirmou o advogado ao salientar que em segunda instância houve outro entendimento a respeito do caso.

Pela última decisão da Justiça, Bodinho está inelegível até 2025. O vereador foi condenado em segunda instância no início do ano por atos de improbidade administrativa na contratação de empresa quando foi superintendente da Sama (Saneamento Básico do Município de Mauá).

O TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) avaliou em fevereiro deste ano que Bodinho é responsável por ter autorizado a contratação, de forma emergencial e sem licitação, da empresa Comercial Nova Rochamar Construções Ltda, em 2010, para prestar serviços de manutenção predial na sede da Sama, pelo valor de R$ 143,5 mil. Para a Promotoria Pública, houve favorecimento da empresa, além de ter havido “emergência fabricada” para justificar o acordo firmado sem concorrência.