Jornada do Patrimônio leva série de atividades para Fábrica de Sal, em Ribeirão Pires

Mais visitadas

Rodas de conversa, visitações a espaços históricos e atividades culturais gratuitas fizeram parte da Jornada do Patrimônio

Capoeira
Jornada do Patrimônio leva série de atividades para Fábrica de Sal, em Ribeirão Pires. Foto: Divulgação

Neste sábado (02/12), a Fábrica de Sal, em Ribeirão Pires, foi palco para a Jornada do Patrimônio. Realizada pelo governo de São Paulo, com apoio da Prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo, a iniciativa contou com visitações a espaços históricos da cidade, rodas de debates e apresentações culturais.

Dando início ao cronograma, Antônio Sarasá palestrou sobre edificações e restaurações. Logo após, Leonardo Bàbáfunã contou sobre espaços e práticas culturais coletivas de terreiros Candomblé Ilê Azé Iya Oloxum como linguagem, materialidade e aprendizados da religião.

A história da Tricentenária Capela do Pilar – patrimônio tombado pelo Condephaat -, e a tradição do tapete de Corpus Christi foram discorridos por Ilda Aparecida de Souza, coordenadora da Comunidade Nossa Senhora do Pilar.

Dentre os destaques, o passeio turístico pelos bens históricos protegidos proporcionou conhecimento sobre alguns pontos como Conjunto Ferroviário, Capela Santa Cruz e Capela Nossa Senhora do Pilar.

Allan Hélder da Silva, 39, morador de São Paulo, participou do passeio e se encantou com a visitação. “Além de ser algo gratuito, poder conhecer alguns dos pontos e a história que cada um carrega é fascinante”, comentou.

O cronograma ainda teve debates voltados ao patrimônio natural, aos bens culturais edificados e sua paisagem histórica. Grupo Maracatosco e o Gingaê Cultural – Coletivo Gingaê Maracá fizeram parte das apresentações culturais.

A Jornada do Patrimônio busca sensibilizar a população sobre a preservação e reconhecimento do patrimônio histórico e cultural de cada cidade.

Mais publicações

Últimas publicações