Igreja católica autoriza retomada de batismo e casamento no ABCD

Celebrações serão retomadas de forma gradual e obedecendo regras por conta da pandemia

Igreja Católica tinha mudado rotina de celebrações como missas, casamentos e batismos por conta do coronavírus. Foto: Divulgação

 

A Igreja Católica autorizou a retomada de forma gradual de várias celebrações, como batismo e casamentos. A divulgação sobre a liberação de algumas cerimônias foi feita nesta terça-feira (06/10) pela Diocese de Santo André, responsável pela orientação das igrejas na região do ABCD.

Desde que começou a pandemia, o batismo e casamento estavam ocorrendo, mas em pouquíssimas paróquias. Muitas não estavam fazendo devido às restrições. Com esse comunicado, as 106 paróquias do ABCD estão autorizadas a realizarem os dois sacramentos a partir deste comunicado.

O Batismo e o matrimônio estão autorizados de imediato. As celebrações matrimoniais estão sujeitas a algumas regras e condicionamentos das celebrações, restringindo-se a participação presencial. As restrições são as mesmas das missas, e todos devem utilizar máscaras, álcool gel, distanciamento de 2 metros e limite de pessoas em até 30% da capacidade da igreja.

Grupos de Diocese

A Igreja Católica também informou que as reuniões presenciais de pastorais, movimentos e grupos da Diocese ocorrerão a partir de 1º de novembro, com 30% da capacidade, uso de máscaras, álcool gel, distanciamento e tempo mais curto das atividades.

De acordo com o comunicado do bispo Dom Pedro Carlos Cipollini, eram muitas as indagações e dúvidas sobre as celebrações. As novas normas e orientações ocorreram depois da realização, por meio virtual, de reunião da Equipe de Coordenação Diocesana de Pastoral, do Conselho Diocesano de Pastoral Ampliado em 3 de outubro e dos Coordenadores Regionais em 6 de outubro.

Abaixo seguem na íntegra as novas regras para a Igreja:

I – SOBRE O SACRAMENTO DO BATISMO

Reiteramos o contido nas Normas e Orientações para retomada das celebrações, emitidas no dia 31 de maio de 2020, as quais orienta a retomada gradual das celebrações, incluindo a celebração do Sacramento o Batismo. Os números 30 a 36, trazem especificamente orientações para a celebração deste Sacramento.

Se em alguma Paróquia esta celebração ainda não estiver acontecendo, solicitamos que seja informado, aos que ali procurarem o Batismo, outra paróquia onde poderão celebrá-lo, entrando para isso em contato com os padres vizinhos, certamente abertos à entreajuda fraterna.

Também recebemos algumas consultas sobre a preparação de pais e padrinhos para o Sacramento do Batismo. Reafirmamos o contido nas Normas e Orientações acima mencionadas, sobre a retomada gradual das celebrações no contexto da Covid-19, que em seu número 55 diz: “As atividades de catequese e outras ações formativas continuarão a ser realizadas apenas por meios telemáticas”. Caso essa modalidade de encontro não seja possível, o que sabemos é grande parte dos casos, fica dispensada tal preparação até nova orientação.

II – SOBRE O SACRAMENTO DA CRISMA

1ª As celebrações do Sacramento da Crisma serão retomadas gradualmente;

2ª Será elaborado um cronograma para a realização destas celebrações, que terão início em fevereiro de 2021;

3ª Deverão ser realizadas em pequenos grupos, respeitando todas as Normas e Orientações para retomada das celebrações, emitidas no dia 31 de maio de 2020, especialmente nos números 38 a 40;

4ª  Cada Paróquia interessada em agendar a celebração deverá enviar até 30 de novembro 2020, no e-mail da Secretaria Episcopal (sec.episcopal@diocesesa.org.br) as seguintes informações: – o número de crismandos (jovens e adultos);

– se já concluíram o período de formação ou a data em que irão concluir;

– o local em que ocorrerá a celebração e o número possível de participantes do local (crismandos, padrinhos, pais e catequistas).

5ª Com estas informações em mãos, o Bispo irá direcionar agendamento e as possíveis delegações que tiverem de ser feitas;

6ª As crismas poderão ser realizadas durante a celebração Eucarística ou separadamente, numa celebração exclusiva para sua administração. Fica opcional uma destas duas modalidades, dependendo da circunstância, a critério do Pároco/ Administrador paroquial em diálogo com catequistas e crismandos.

 

III-      SOBRE OUTRAS ATIVIDADES PASTORAIS E REUNIÕES

  1. Encontros de pastorais, movimentos e grupos (de oração e outros)

Levando em conta as Normas e Orientações para a retomada gradual das celebrações de 31 de maio de 2020, informamos que, a partir de 1 º de novembro, podem ser gradualmente retomadas as atividades pastorais que forem julgadas estritamente necessárias em cada pastoral/movimento/associação (reuniões, encontros, grupos), de forma que sejam atendidas as orientações sanitárias de higienização e o distanciamento social. Qualquer atividade, deve levar em conta a limitação de 30% da capacidade do local onde será realizada, e o tempo de duração não seja muito superior a 1 hora.

2.Celebração de Matrimônio

Os Encontros de Preparação para a Vida Matrimonial, onde for possível, continuem sendo realizados pelos meios telemáticas. Caso essa modalidade não seja possível, os noivos fiquem dispensados da obrigatoriedade do encontro.

3.Coroinhas e Cerimoniários

Reiteramos o contido no número 26 das Normas e Orientações de 31 de maio de 2020, cuja determinação é de que não haja aglomeração no presbitério e sacristias, limitando o número de pessoas ali presentes ao estritamente necessário e que o ministério dos cerimoniários e coroinhas continuem suspensos. Isto para o bem deles e dos demais.

4.MEC, MECP, MEE, MEBE

Algumas paróquias têm manifestado a necessidade de novos Ministros Extraordinários (especialmente os da Distribuição da Sagrada Comunhão Eucarística). Muitos dos atuais ministros ainda não estão de volta em seu ministério, um bom número devido à pertença a grupo de risco (idade etc). Estava marcada em nosso calendário diocesano deste ano a celebração de investidura de novos ministérios em toda a Diocese (27 /9 e 18/1 O), mas não poderemos realizá-las no atual contexto. Portanto, autorizamos os Párocos/ Administradores paroquiais a realizarem apenas a bênção das vestes de maneira simples, para que novos ministros extraordinários possam auxiliar nas celebrações. Para que isso aconteça, solicitamos que sejam preparados da forma possível. Que a relação de nomes dos futuros ministros a serem investidos, sejam enviadas ao Centro de Pastoral, antes de passarem a servir. Assim que houver possibilidade, realizaremos a devida investidura de todos estes ministérios, em celebração diocesana durante o próximo ano (2021).

Recordo que o Documento de Aparecida encoraja os leigos a participarem da vida pública, porém, para o bem do candidato e da comunidade, “caso deseje candidatar-se, o Ministro Extraordinário deve afastar-se do seu ministério durante o tempo da campanha” (cf. Subsídio Formativo para Ministérios Extraordinários da Diocese de Santo André p.34). Após as eleições poderá voltar ao exercício do ministério.

5.Catequese

Ressaltamos que as atividades catequéticas presenciais (encontros com catequizandos), em qualquer de suas modalidades, ficam fora destas orientações, ou seja, ainda não sejam retomadas. Isso deve-se ao caráter de “obrigatoriedade de participação” do catequizando nos encontros, caso sejam retomados. As atividades de catequese e outras ações formativas continuarão a ser realizadas apenas por meios telemáticas. Outras atividades pastorais com crianças, adolescentes e jovens podem ser retomadas, pois a participação é opcional. Porém devem observar todas as normas sanitárias já exaustivamente recomendadas.

6.Finados

Em relação à missas do dia de Finados que se aproxima, cada Região Pastoral, em diálogo com o Coordenador da Região, veja o melhor local para celebrar as Santas Missas, se nas igrejas ou nos cemitérios, pois cada Região tem sua particularidade quanto às normas municipais e demais fatores.

Solicito a todos que continuem acolhendo os fiéis com caridade e paciência cristãs, fugindo à tentação de tratamento ríspido ou indiferente. A angústia para nós é grande, mas para nosso povo é maior, pois eivada de incertezas e perdas.

Jesus Cristo, o Pastor dos Pastores, saberá recompensar cada um pela fidelidade e especialmente pela esperança que soubermos difundir ao nosso redor.

Assim que houver novas necessidades, e novo consenso, serão emanadas novas orientações. Grato pela atenção.

Santo André, 6 de Outubro de 2020.

Dom Pedro Carlos Cipollini

Bispo de Santo André