Guarda de S.Bernardo realiza apreensão de arma e artefatos Pós-Balsa

 Em ronda ostensiva, agentes também recolheram tarrafas e redes que estavam com um indivíduo durante pesca, às margens da represa

 

arma e artefatos
Em ronda ostensiva, agentes recolheram arma, tarrafas e redes que estavam com um indivíduo durante pesca, às margens da represa. Foto: Divulgação

 

Uma das equipes da Guarda Ambiental de São Bernardo recolheu, neste último fim de semana (08 e 09/06), inúmeros artefatos para caça silvestre e pesca ilegais, incluindo tarrafas, redes de pesca e até uma arma de pressão, com mira a laser, muito utilizada para abater aves e animais de pequeno porte. Os itens estavam com um homem que, pego em flagrante durante uma pesca ilegal, foi encaminhado às autoridades para responder a processo criminal.

Essa operação pente-fino integra ações estratégicas da Guarda, que engloba rondas ostensivas por áreas de proteção ambiental e têm contribuído, cada vez mais, para coibir práticas desse tipo. Soma-se também a esses esforços o Decreto Municipal nº 19.965/2017, assinado em 2017 pelo prefeito Orlando Morando , no qual a Prefeitura e o Ministério Público (MP) firmaram acordo para impedir a construção de novas moradias irregulares na região da Pós-Balsa, ampliando a proteção à região da represa.

Contando com 38 agentes, o trabalho da Guarda Ambiental cobre extensa área de matas, além do entorno da Billings, no município. O constante empenho das equipes pode ser contabilizado pelas apreensões crescentes. Só em 2018, foram resgatados cerca de 1.700 animais silvestres, em sua maioria aves mais apreciadas no tráfico ilegal de espécies da fauna atlântica.

“Esta é uma programação ininterrupta, com os objetivos de preservação e combate às práticas criminais. Vamos seguir, de forma ostensiva, neste trabalho”, destacou o secretário de Segurança Urbana de São Bernardo, Coronel Carlos Alberto dos Santos.

A Guarda Ambiental e a Prefeitura informaram que querem  continuar contando com a colaboração da população no combate ao desmatamento e à caça ilegais. Para denunciar quaisquer ações desse tipo, basta ligar para a Guarda Civil Municipal (GCM), discando 153. Não é necessário se identificar.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*