26 de novembro de 2021

Ferroviários encerram greve em SP e no ABCD e trens da CPTM voltam a operar

Mais visitadas

Volta da operação foi anunciada por volta das 17h25

Ferroviários encerram greve e trens da CPTM voltam a operar após assembleia da categoria. Foto: Reprodução/TV Globo

A greve dos ferroviários acabou no fim da tarde desta quinta-feira (15/07). O fato ocorreu depois de uma reunião entre os representantes dos trabalhadores, da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) e do governo do Estado. A informação foi confirmada à imprensa pelo secretário de Transportes de São Paulo, Alexandre Baldy.  Os trens voltaram a operar gradualmente em todas as linhas às 17h30.

A paralisação da categoria durante o dia que afetou pelo menos quatro linhas (7-Rubi, 8-Diamante, 9-Esmeralda e 10-Turquesa) e prejudicou os usuários.

Sindicatos que representam a categoria informaram que  a proposta de  Alexandre Baldy envolve pagamento de 50% do plano de participação dos resultados em 10 de agosto, e o restante, com multa, em janeiro de 2022.

O governo do Estado de SP irá fazer o aporte necessário à CPTM para pagar a Participação nos Resultados (PPR) de 2020. No acordo, a primeira parcela do PPR será paga no mês de agosto e a segunda em Janeiro. Em relação ao dissídio proposto pela categoria, o assunto será decidido pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT).

Desta forma, todas as linhas da CPTM funcionarão normalmente nesta sexta-feira (16/07) a partir do início da operação comercial (4h). “A companhia não mediu esforços para garantir o menor impacto possível aos passageiros e reafirma que a realização de uma paralisação em um momento de pandemia como o atual é injusta e inaceitável”, disse a CPTM.

Pela manhã a CPTM lamentou a greve.

Lei a íntegra da nota oficial:

“A Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) considera inadmissível que os sindicatos que representam os colaboradores das linhas 7-Rubi, 8-Diamante, 9-Esmeralda e 10-Turquesa, com toda a linha de frente vacinada e com uma crise econômica, decida fazer greve nesta quinta-feira (15/07) prejudicando e punindo exclusivamente o cidadão que necessita do transporte público para ir ao trabalho, incluindo os que trabalham na linha de frente no combate à pandemia de Covid-19.

A CPTM lamenta a decisão sobre a greve e espera que não haja adesão por parte dos trabalhadores em respeito aos cidadãos que necessitam do transporte. A Companhia reforça que há uma decisão da Justiça do Trabalho determinando a manutenção de 80% dos trabalhadores no horário de pico e 60% nos demais horários, sob pena de R$ 100 mil diários. A empresa também irá operar com um plano de contingência para atender a todos que precisam do transporte, principalmente aos que trabalham em serviços essenciais.

Enquanto milhares de trabalhadores perdem seus empregos ou tem suas rendas diminuídas – a renda média do trabalhador é de R$ 2.500,00, a CPTM mantém salários e benefícios rigorosamente em dia – salário médio de R$ 6.500,00, mesmo tendo sido duramente afetada pela queda na demanda de passageiros durante 2020 e todo o ano de 2021. Não é possível que estes sindicatos estejam em uma realidade diferente do restante do país, que sofre com desemprego, perda de renda e fome. As linhas 11-Coral, 12-Safira e 13-Jade operarão normalmente nesta quinta-feira”.

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações