Ex-judoca olímpico Mario Sabino é morto por um colega da PM

Assassinato aconteceu na noite desta sexta-feira, em Bauru, município onde nasceu

 

Ex-jodoca Sabino é assassinato na noite desta sexta-feira, em Bauru, município onde nasceu. Foto: Reprodução/TV Tem

 

O ex-judoca olímpico e cabo da PM (Polícia Militar) Mario Sabino Júnior foi assassinado na noite de sexta-feira (25/10), em Bauru, interior de São Paulo, após discussão com um colega militar. De acordo com informações preliminares da Polícia, Sabino teria sido assassinado pelo sargento Agnaldo Rodrigues do Copom (Centro de Operações da Polícia Militar), que, logo após cometer o crime, também tirou a própria vida.

Sabino é natural de Bauru e tinha 47 anos. O judoca representou o Brasil nas Olimpíadas de Sydney, na Austrália, em 2000, e em Atenas, na Grécia, em 2004, além de ter sido auxiliar técnico da delegação brasileira nos jogos de Londres, na Inglaterra, em 2012, e no Rio de Janeiro, em 2016.

 

Ele foi medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de 2003 (Santo Domingo, na República Dominicana) e bronze do Mundial de Osaka (Japão) no mesmo ano. Além disso, foi obteve o bicampeonato pan-americano de masters.

 

Além de ser cabo da PM, Sabino era assistente técnico da seleção. A CBJ (Confederação Brasileira de Judô) lamentou a morte do ex-atleta por meio de nota oficial. “A Confederação Brasileira de Judô expressa seu mais profundo pesar e consternação pela perda repentina e trágica de um judoca, amigo e professor. Mário Sabino Júnior será lembrado para sempre e com carinho por toda a família do judô brasileiro”, concluiu a CBJ.

Em homenagem póstuma, a CBF fará um minuto de silêncio na cerimônia de abertura do CBI – Seletiva Nacional Sub-18, que começou neste sábado, 26, em Canoas, Rio Grande do Sul.