26 de maio de 2022

Em meio a polêmica, CPI do Semasa volta a ser discutida em Sto.André

Mais visitadas

 Na última terça-feira, bancada do PT emplacou investigação e nesta quinta-feira o vereador Professor Minhoca também apresenta requerimento

 

CPI
Vereador Minhoca vai reapresentar pedido de CPI para investigar dívidas do Semasa desde a gestão de Celso Daniel. Foto: Divulgação. Foto: Divulgação

 

A sessão da Câmara de Santo André voltará a debater nesta quinta-feira (16/05) a instauração de duas CPIs (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar contratos e convênios do Semasa (Serviço Municipal de Saneamento Ambiental), além da dívida de R$ 3,4 bilhões que a autarquia tem com a Sabesp (Companhia Estadual de Abastecimento do Estado de São Paulo).

Na terça-feira (14/05), a bancada do PT conseguiu emplacar uma comissão e nesta quinta devem ser encaminhados os próximos passos da investigação. “Essa CPI fará a apuração dos contratos firmados entre Semana e Sabesp e fundamentalmente, do que se trata a carta de intenções anunciada em março pelo prefeito Paulo Serra”, disse a vereadora Bete Siraque (PT) ao se referir à negociação da Prefeitura com a estatual para trocar a dívida do Semasa por uma concessão de 40 anos dos serviços de água e gesto da cidade. O projeto tramita na Câmara.

O sorteio dos membros da CPI do PT já foi feito e foram indicados: Luiz Alberto (PT); Tonho Lagoa (PMB); Rodolfo Donetti (Cidadania); e Professor Minhoca (PSDB). O PTB indicará Lucas Zacarias ou Marcos Pinchiari.

O professor Minhoca (PSDB) também vai reapresentar uma CPI, mas com a proposta de investigar as gestões desde 1989, na primeira gestão do então prefeito Celso Daniel (PT), morto em janeiro de 2002. O tucano tentou emplacar o documento na terça-feira, mas alguns vereadores apontaram falta de informações necessárias como a indicação do número de membros e detalhamento sobre o objeto da apuração.

Durante entrevista coletiva nesta terça-feira, o prefeito Paulo Serra disse que a CPI não pode virar “um palanque” eleitoral. Temos de entender uma situação. Já temos R$ 400 milhões que viraram precatório. Nos próximos dias teremos mais R$ 1 bilhão e isso vai prejudicar as finanças. Não tenho problemas em explicar isso para os vereadores, mas eles estão antecipando um debate”, concluiu.

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações