Servidores de Mauá decretam estado de greve

 Categoria não aceita ficar sem reajuste salarial por conta do decreto de calamidade pública feito pela prefeita interina

estado de greve
Assembleia de servidores decide entrar em estado de greve. Foto: Divulgação

Em assembleia realizada nesta quarta-feira à noite (25/07), na sede do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos) de Mauá, os funcionários públicos decidiram que a partir desta quinta-feira (26/07) entrarão em estado de greve. A categoria não aceita o fato de o governo interino da prefeita Alaíde Damo (MDB) negar reajuste salarial para a categoria.

A administração alega que por conta do decreto de calamidade pública, publicado recentemente, a Prefeitura está impedida de conceder reposição salarial durante 120 dias.

O secretário executivo do Sindserv, Marcelo Orfão, afirmou que nesta quinta-feira será protocolado na Prefeitura ofício para informar sobre a deliberação dos servidores.

Quero deixar claro que esse mecanismo de estado de greve não representa que será deflagrada a greve e os trabalhadores cruzarão os braços a partir desta quinta. Trata-se de uma resposta dos trabalhadores ao governo referente ao descontentamento em relação à proposta apresentada. Queremos garantir a pauta que vinha sendo discutida. Caberá ao governo sinalizar se manterá as negociações conforme as reivindicações que a categoria acha justa ou prefere encerrar as negociações. Dessa forma, esse estado de greve pode ser transformado em uma deflagração de greve”, alertou.

O secretário de Governo, Antonio Carlos de Lima, foi procurado, mas até o fechamento da reportagem não havia dado retorno para se posicionar.