Eleição suplementar em Ribeirão Pires será mesmo em 11 de dezembro

Mais visitadas

Plenário do TRE acatou proposta de data feita pela Secretaria de Planejamento Estratégico de Eleições e pela Coordenadoria de Gestão de Eleições, órgãos da Corte

fachada do TRE
Órgãos do TRE propõem eleição em Ribeirão Pires em 11 de dezembro e plenário acata. Foto: Reprodução

A eleição suplementar de Ribeirão Pires será mesmo em 11 de dezembro. O plenário do TRE-SP (Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo) acatou nesta sexta-feira (21/10) proposta de data feita pela Secretaria de Planejamento Estratégico de Eleições e pela Coordenadoria de Gestão de Eleições. A recomendação tinha sido feita na sexta-feira da semana passada.

A data foi aprovada por unanimidade dos desembargadores. Pela resolução, as convenções eleitorais serão promovidas entre 3 e 11 de novembro. O registro das candidaturas tem de ser feito até essa última data. Após a conclusão do pleito eleitoral, os candidatos terão dez dias (21/10) para prestarem contas da campanha.

Já com relação à diplomação da Justiça Eleitoral deve ocorrer em 13 de janeiro de 2023. Na sequência haverá a posse.

Entenda o caso

O TSE (Tribunal Superior Eleitoral) cassou o diploma da chapa Clóvis  Volpi (PL) e Amigão D’Orto (PSB), prefeito e vice respectivamente, porque Volpi teve as contas rejeitadas em 2012, ou seja, a cassação aconteceu somente oito anos depois. Amigão não pode assumir porque a chapa é indivisível e a inegibilidade de Volpi acabou o atingindo. Ele deve concorrer agora como candidato a prefeito.

A Prefeitura é comandada interinamente pelo presidente da Câmara, Guto Volpi (PL), filho de Clóvis Volpi. Guto também vai disputar a eleição suplementar assim como ex-vice-prefeito Gabriel Roncon (Cidadania), a ex-primeira-dama Flávia Dotto (PSDB), a empresária Marisa Reinoso, a Marisa da Casas Próprias (Solidariedade). O PT também deve indicar um candidato.

Mais publicações

Últimas publicações