1 de julho de 2022

Diadema terá protesto nesta quinta contra diretora de escola estadual

Mais visitadas

Manifestantes alegam perseguição ao quadro de docentes; Secretaria de Estado da Educação afirma que investiga caso

fachada da escola Sylvia Ramos Esquível
Manifestantes contestam atuação da diretora da Escola Estadual Sylvia Ramos Esquível, que fica na rua Safira, em Diadema.  Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira (26/05) haverá um protesto na Câmara de Diadema para denunciar suposta perseguição de uma diretora ao quadro docente da  Escola Estadual Sylvia Ramos Esquível, que fica na rua Safira, em Diadema.  

“Desde o começo do ano, A.M., diretora da Escola Estadual Sylvia Ramos Esquível, tem sido denunciada por assédio moral e perseguições por parte do corpo docente. Os professores da Escola localizada em Diadema, tem relatado perseguições diárias por parte da diretora, que tem articulando a demissão de professores com rendimento pedagógico inquestionável e que se dedicam com o bem-estar da escola, dos educandos e da comunidade escolar”, afirmam os organizadores do ato.

Segundo os professores, as perseguições  teriam começado no formato de ameaças verbais e implementação de advertências, sem nenhum motivo aparente. De acordo com eles, a ação mais grave de perseguição comandada pela gestão teria ocorrido nas últimas semanas, quando a diretora A.M. pediu a extinção contratual de dois professores da rede, e afirmou ainda que outros três professores passariam pelo mesmo processo. O motivo da extinção do contrato, segundo relatos, se deve aos professores terem permitido que jovens estudantes fizessem uma passagem em sala de aula com objetivo darem um recado aos demais alunos e, quando indagados, os estudantes afirmaram ter autorização da gestão para isso.

Em uma carta, assinada por diversos apoiadores da rede e por munícipes e entidades de Diadema do Grande ABC, o corpo docente afirma que têm tentando diariamente cumprir com suas tarefas na escola, realizando suas aulas e atividades com os alunos, mas alegam que as perseguições vêm se arrastando há meses, que a escola tem sofrido com “um duro processo de demissões articulado pela direção da escola, e que agora, além de correrem o risco de também perderem seus empregos, os cinco professores ainda teriam sido intimidados a prestar depoimentos na delegacia, como se fossem autores de um crime”.

Uma das professoras que se diz perseguida nesse processo já foi afastada da Escola e os alunos que tinham seu ensino acompanhados por ela, ao invés de terem a reposição de um novo professor, tem assisto à disciplina através de vídeo aulas, transmitidas em sala por um pendrive.

“Considerando que as perseguições e que o encaminhamento dado à direção aos cinco professores são indevidas, e na tentativa de uma volta à normalidade para que possam seguir com suas aulas a atividades pedagógicas sem sofrerem retaliação, os professores da Escola estão convocando um ato para dia 26/06, quinta-feira, às 16h, em frente a Câmara de vereadores para pedir apoio aos parlamentares da cidade”, dizem os organizadores da manifestação.

Outro lado

A Secretaria de Educação do Estado (Seduc-SP) informa que foi aberta a apuração preliminar para averiguar o caso onde todas as partes serão ouvidas. “As atividades na unidade seguem normalmente. A Diretoria de Ensino de Diadema e a escola seguem à disposição da comunidade escolar e autoridades para mais esclarecimentos”, concluiu nota da Pasta.

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações