Defesa pede a Gilmar Mendes que estenda liberdade de Atila a Gaspar

 Prefeito de Mauá, preso na mesma circunstância que ex-secretário, conseguiu habeas corpus em 15 de junho

 

João Gaspar esta preso na Penitenciária do Tremembé. Foto: Divulgação/PMA-Roberto Mourão

A defesa do secretário de Governo de Mauá João Gaspar entrou com um novo pedido de liberdade, agora, junto ao ministro Gilmar Mendes, do STF (Supremo Tribunal Federal). O advogado Roberto Guimarães solicitou que a liberdade que foi concedida ao prefeito Atila Jacomussi (PSB), em 15 de junho, seja estendida ao seu cliente.

Atila e Gaspar foram presos na mesma circunstância, em 9 de maio, pela PF (Polícia Federal). Houve flagrante de R$ 87 mil na casa do prefeito, enquanto na do secretario havia R$ 588,4 mil, além de 2,9 mil dólares. A PF suspeita de lavagem de dinheiro e desvio de verba da merenda escolar. Ambos negam.

Gilmar Mendes concedeu liberdade a Atila, mas solicitou que o TRF-3 (Tribunal Regional Federal da Região 3) adotasse medidas cautelares. O TRF-3 determinou afastamento do cargo e restrições para viajar. Atila sequer pode frequentar a Prefeitura.

A defesa de Gaspar alegou no processo que ele não está mais na Prefeitura e também se desligou de seu partido o PC do B e, por isso, sua liberdade não atrapalharia o andamento do processo e suas investigações.