De volta ao Consórcio, prefeito de Diadema diz que Morando fez gestão autoritária

 Entidade uniu 7 municípios novamente em assembleia realizada nesta terça-feira

Prefeitos das sete cidades vão retornar oficialmente ao Consórcio após aprovação de projetos pelas Câmaras, mas já participam de reunião. Foto: Divulgação/PSA-Helber Aggio

 

A Assembleia Geral de Prefeitos do Consórcio Intermunicipal, realizada nesta terça-feira (1/032), foi marcada pela assinatura dos Protocolos de Intenção para o retorno dos municípios de Diadema, São Caetano e Rio Grande da Serra à entidade regional. Durante o encontro, os prefeitos também definiram os temas prioritários para região que serão apresentados ao governador João Doria (PSDB), em reunião marcada para a manhã de quarta-feira (13/03), no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo.

O prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), afirmou que só retornou porque o novo presidente da instituição, Paulo Serra (PSDB), prefeito de Santo André, tem um novo jeito de administrar e aceita opiniões e diálogos com os demais prefeitos. O verde fez duras críticas ao ex-presidente da entidade Orlando Morando, prefeito de São Bernardo.

Nunca quis sair do Consórcio, sempre fui um expoente para contribuir. Política se resolve em eleições e não durante o mandato. Aqui (no Consórcio) estava virando um autoritarismo, não existia discussão regional, o que existia era um monólogo regional. Os prefeitos são todos iguais, ninguém e melhor que ninguém”, afirmou Lauro ao se referir ao mandato de Orlando Morando no Consórcio entre os anos de 2017 e 2018.

A assessoria do prefeito foi procurada, mas até o fechamento da reportagem não havia dado retorno para se posicionar sobre as críticas de Lauro Michels.

Pauta com o governador

A pauta do encontro com o governador incluirá articulações para obras de combate às enchentes na região, descentralização da distribuição dos medicamentos de alto custo, a Linha 18-Bronze do Metrô e a revitalização da avenida dos Estados.

O presidente do Consórcio e prefeito de Santo André, Paulo Serra, explicou que cada município apresentou suas demandas, que foram convertidas em um documento único a ser levado ao governador, incluindo, entre os temas prioritários, medidas para minimizar impactos como os das fortes chuvas que atingiram as cidades do ABC na noite do último domingo e madrugada de segunda-feira.

A pauta regional vai incluir desde microintervenções, como muros de arrimos de equipamentos para as Defesas Civis municipais, a investimentos maiores como piscinões, desassoreamento de córregos, obras em avenidas, entre outras intervenções”, informou Paulo Serra.

Em relação aos Protocolos de Intenção assinados pelos municípios, o presidente do Consórcio destacou que a iniciativa ocorreu após a proposição do novo modelo de gestão da entidade regional, com a continuidade da redução de custos, o parcelamento das dívidas dos municípios e a aproximação com sindicatos, associações comerciais, universidades e setor produtivo, além da articulação maior entre os chefes do Poder Executivo com vereadores e deputados que representam a região.

Diante também das agendas diretamente ligadas a questões propositivas e que podem sair do papel, os municípios ratificaram a intenção de retornar. A partir da próxima semana, vamos visitar as Câmaras de Rio Grande da Serra e São Caetano do Sul para conversar com vereadores, assim como já fizemos em Diadema, e ao longo deste mês devem ser enviados aos Legislativos os projetos de lei para que as cidades retornem ao Consórcio”, explicou Paulo Serra.

O prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, ressaltou a necessidade da articulação de ações conjuntas entre os municípios. “Isso mostra muito bem a importância do Consórcio, porque chove em São Bernardo e reflete em São Caetano. Como podemos fazer qualquer tipo de discussão política sem pensar regionalmente? Aqui, as divisas se confundem. E sabemos da importância que é essa política consorciada no Grande ABC”, disse.

Por sua vez, o prefeito de Diadema, Lauro Michels, destacou a necessidade da união entre as cidades em questões como o combate às enchentes. “Estamos aqui hoje nesta reunião em uma soma de esforços, todos sendo solidários um ao outro. Nossa preocupação comum é com a população das nossas cidades. Estou aqui pelo projeto proposto pelo prefeito Paulo Serra, houve várias mudanças bacanas, como inclusão de sindicatos e universidades nas discussões do Consórcio”, afirmou.

Casa Abrigo

O presidente do Consórcio também destacou a continuidade do Programa Casa Abrigo Regional Grande ABC, mantido pela entidade regional. A iniciativa garante a segurança e proteção de mulheres em situação de violência doméstica e familiar, sob risco iminente de morte, acompanhadas ou não de seus filhos e filhas menores de 18 anos.

Todos os prefeitos reconhecem a importância desta política pública para a nossa região”, afirmou Paulo Serra.

O programa existe desde 2003 e já protegeu 1.150 mulheres das sete cidades da região desde sua criação. Atualmente, a iniciativa abriga 11 mulheres, 10 crianças e 3 adolescentes nas duas unidades do Programa. O processo licitatório para contratação da organização que mantém a Casa Abrigo já foi iniciado.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*