De olho em gerar mais emprego, Sto.André faz parceria com Estado

 Programa Minha Chance visa criação de cursos técnicos de qualificação profissional na cidade

 

parceria
Prefeitura e Estado lançam programa para gerar mão de obra qualificada. Foto: Divulgação/PSA

 

A Prefeitura de Santo André participou nesta quarta-feira (22/05) do lançamento do Programa Minha Chance, em parceria com o Governo do Estado. O evento contou com a participação de 38 empresas do ramo alimentício de Santo André. De acordo com o prefeito Paulo Serra (PSDB), a medida visa a qualificação, bem como a contratação de profissionais para essa área.

Santo André se tornou a capital gastronômica, é a cidade que tem o maior número de opções nesse sentido. O que a gente tem feito agora é planejar isso e potencializar essa nova vocação e esse pólo gastronômico é sim, hoje na nossa visão, um item muito importante dentro da nossa economia e que precisa ser potencializado. Precisamos desta grande parceria e quando nós tomamos ciência do Governo do Estado ter o lançamento do Programa Minha Chance de pronto já marcamos essa conversa, porque a gente avalia que dentro desse processo de redescoberta da nossa vocação econômica, faz parte Santo André ser a capital gastronômica da região metropolitana do Estado de São Paulo, temos tudo pra isso”, disse o chefe do Executivo.

Segundo o secretário executivo da Pasta de Desenvolvimento Econômico do Estado , Américo Sakamoto, as empresas, por meio de um cadastro, vão informar quais são suas necessidade de mão de obra qualificada. Diante dos dados, o governo criará os cursos de qualificação profissional voltados ao que cada uma precisa.

Durante explanação a presidente do Fundo Social de Solidariedade, Ana Carolina Rossi Barreto Serra , disse que o município oferece gratuitamente apoio às empresas. “Essa com as empresas é fundamental, porque o empresário tem a necessidade e a gente tem a qualificação da mão de obra”, afirmou Carolina.

De acordo com a Prefeitura, o município ainda faz a intermediação de mão de obra através do Centro Público de Trabalho e Renda, orienta para tomada de crédito e microcrédito através dos agentes de crédito municipais, além de fazer a orientação para melhoria das práticas de gestão da empresa, com palestras, consultorias, diagnósticos de gestão, através dos programas Circuito Andreense de Empreendedorismo e Prêmio Excelência em Gestão, disponibilidade de mão de obra qualificada através dos diversos cursos de qualificação promovidos no município, como a Carreta Via Rápida Emprego e os diversos cursos de formação do Fundo Social de Solidariedade, do Núcleo de Inovação Social.

O objetivo desse nosso encontro é fazer a apresentação dos serviços de apoio às empresas de alimentação como um todo, apresentar um pouco das oportunidades de qualificação de mão de obra. Temos aqui no Paço, inclusive, uma carreta do Estado de São Paulo, ao lado do prédio do executivo, da VRE (Via Rápida Emprego), onde estamos nesse exato momento capacitando 60 pessoas em um curso de 25 dias úteis, três turmas de 20 pessoas, em um curso de auxiliar de cozinha, ou seja, daqui alguns dias teremos uma mão de obra absolutamente qualificada e preparada para atender a demanda que é crescente na nossa região”, afirmou o secretário de Desenvolvimento e Geração de Emprego, Evandro Banzato.

 

parceria
Evento contou com a participação de 38 empresas do ramo alimentício de Santo André. Foto: Divulgação/PSA

 

Programa Minha Chance

O programa Minha Chance é uma iniciativa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado de São Paulo para aumentar a empregabilidade dos beneficiários dos seus cursos técnicos e de qualificação profissional e auxiliar na melhor adaptação dos conteúdos às demandas da sociedade e do mercado de trabalho local. No Minha Chance, a empresa se cadastra no portal http://www.minhachance.sp.gov.br e declara sua necessidade de mão de obra qualificada no período de 2 a 6 meses. Com as informações, a Secretaria avalia a possibilidade de formação na região indicada e com o conteúdo proposto, levando em conta o potencial de absorção da mão de obra pelas empresas da região.