David Uip orienta prefeitos do ABCD aguardar posição do Estado para compra de testes

Coordenador do Centro de Contingência para o Coronavírus participou de videoconferência com presidente da entidade regional e secretários municipais de Saúde

 

Coordenador do Centro de Contingência para o Coronavírus participou de videoconferência com presidente da entidade regional e secretários municipais de Saúde. Foto: Divulgação

 

O Consórcio Intermunicipal Grande ABC, entidade que envolve os sete prefeitos da Região, apesar de ter anunciado há 15 dias que compraria 1 milhão de testes de coronavírus, informou  que ainda vai aguardar posição do Governo do Estado para realizar a compra de testes rápidos do novo coronavírus (Covid-19). A entidade regional informou que segue recomendação do coordenador do Centro de Contingência para o Coronavírus do Estado de São Paulo, David Uip, que participou nesta quarta-feira (15/04) de videoconferência do Grupo de Trabalho (GT) Saúde.

“Peço para aguardarem novas informações que vamos repassar. Vou entrar em contato com vocês sobre o melhor teste e o melhor momento para a fazer a aquisição”, afirmou Uip, durante a videoconferência.

A reunião contou com participação do presidente da entidade regional e prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão, dos secretários municipais de Saúde e da presidente da Fundação do ABC (FUABC), Adriana Berringer Stephan.

Durante a videoconferência, Uip se colocou à disposição dos sete municípios e informou que a política de testes rápidos está ainda sendo definida pelo Governo Federal, que não divulgou até o momento todos os detalhes sobre uso e distribuição dos kits.

Conforme definição dos secretários municipais de Saúde, cada prefeitura fará a contratação de laboratório para realização do exame de PCR  para detecção do coronavírus desde os primeiros dias de infecção.

Além disso, foi decidada a criação de um protocolo assistencial conjunto para o Grande ABC pelas secretarias municipais de Saúde, com auxílio da Faculdade de Medicina do ABC (FMABC) e apoio da FUABC. A FMABC também realizará um estudo epidemiológico estatístico, com apoio das Vigilâncias municipais.

O presidente do Consórcio ABC ressaltou que a importância de ações conjuntas para enfrentar a pandemia. “A propagação da Covid-19 exige ações dinâmicas e integração. O momento é de união”, afirmou Maranhão.