Contra pancadões, São Bernardo fecha 208 estabelecimentos irregulares

 Operação também contabilizou 127 pessoas presas e 53 menores apreendidos em atividades criminosas nos últimos dois anos

 

estabelecimentos
Operação também fechou bares e prendeu 127 pessoas presas, além de 53 menores apreendidos em atividades criminosas . Foto: Divulgação/PSBC-Ricardo Cassin

 

O programa de combate a pancadões e bailes funks irregulares de São Bernardo, batizado como Operação Noite Tranquila, completou na última segunda-feira (13/05) dois anos de atividades nos fins de semana, que resultou na capturas de criminosos e apreensões de drogas e equipamentos ilegais.

De maio de 2017 ate agora, um total de 208 estabelecimentos que atuavam à margem da lei foram fechados, em ação conjunta entre a GCM (Guarda Civil Municipal) e as secretarias de Serviços Urbanos, Transportes e Vias Públicas, Obras e Planejamento Estratégico e o departamento de Vigilância Sanitária.

Entre os locais mais emblemáticos interditados pela operação estão as lanchonetes Amarelinho e Colonial, ambas localizadas no bairro Vila São Pedro. Os comércios eram conhecidos por ocorrências constantes de som alto em horário avançado e tumultos causados por consumo excessivo de álcool e entorpecentes, inclusive entre menores de idade. Além da interdição de estabelecimentos conhecidos por reunir brigas, álcool, venda de drogas e som alto, a operação também contabiliza, em 24 meses, 880 veículos apreendidos e aplicação de 6.591 multas por som alto e outras irregularidades. No período, um total de 127 pessoas foram presas e outros 53 menores apreendidos.

A operação é desenvolvida todas as sextas-feiras, sábados e vésperas de feriados, das 20h às 4h, e nos domingos e feriados, das 14h às 2h. A ação reúne grande efetivo da guarda e das Polícias Militar e Civil, que atuam de forma conjunta na saturação de viaturas em bairros estratégicos, rondas, monitoramento de vias públicas com alta concentração de pessoas e bloqueios com foco em veículos equipados com aparelhagem de som. Os locais de atuação são definidos previamente pelo Comando da GCM, por meio dos serviços de inteligência da guarda e da PM (Polícia Militar) e de denúncias da população.

Completamos mais um ano de operações com resultados importantes e que mostram o quanto a cidade necessitava de ações como esta. O retorno que recebemos da população é muito positivo e a operação vai seguir forte em São Bernardo. O intuito é percorrer todos os bairros da cidade, com foco nas regiões que recebem maior número de reclamações como Jardim Calux, DER, Alves Dias, Parque São Bernardo, Rudge Ramos e Centro”, disse o prefeito Orlando Morando (PSDB).

O canal para o registro de queixas de volume excessivo e demais atividades nas quais forem constatadas atividades ilegais é o telefone 153 da GCM e o 190 da PM. Em dois anos de Noite Tranquila, foram recebidas mais de 10 mil denúncias de moradores. “O volume de denúncias aumentou muito desde as primeiras operações. Isso mostra que esta ação é uma demanda muito forte da população, que tem o direito de descansar durante a noite, sem transtornos e badernas na rua”, completou o secretário de Segurança Urbana, Carlos Alberto dos Santos.