14 de junho de 2021

Começa vacinação de brasileiros para os Jogos Olímpicos de Tóquio

Mais visitadas

Atletas e trabalhadores que representarão o país no Japão começaram a receber nesta sexta-feira a primeira dose da Coronavac ou Pfizer

Atletas do Vôlei Sentado comemoram vacinação no Centro de Treinamento Paralímpico Brasileiro. Foto: Divulgação/CPB-Ale Cabral

Começou nesta sexta-feira (14/05) a vacinação de brasileiros que representarão o país ou trabalharão nos Jogos Olímpicos de Tóquio. Ao todo, serão em torno de 1800 pessoas vacinadas, o que equivale a aproximadamente 7 mil doses adicionais entregues ao SUS e cerca de 3.600 pessoas beneficiadas com a doação das vacinas através do Plano Nacional de Imunização.

Foram incluídos na lista todos os atletas e oficiais já classificados ou com chances de participação nos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Tóquio 2020. Além deles, foram incluídos também os membros da mídia credenciada e de empresas que confirmaram a participação do profissional brasileiro em Tóquio através de documentação enviada pelo COI (Comitê Olímpico Internacional). Foram excluídos da lista os brasileiros já vacinados ou que estão no exterior.

O prazo-limite para a aplicação da segunda dose a todos é 21 de junho, 15 dias do primeiro embarque para o Japão e 33 da abertura dos Jogos Olímpicos. Por meio desse acordo, serão beneficiados também os participantes dos Jogos Paralímpicos, de 24 de agosto a 5 de setembro, no Japão.

As vacinas serão repostas pelo COI, que ofereceu doses a todos os Comitês Olímpicos Nacionais, além de vacinas suficientes para imunizar mais dois cidadãos dos países beneficiados pela doação.

Diversos países informaram a intenção ou já iniciaram a imunização suas delegações, como Alemanha, Bélgica, Canadá, Espanha, Itália, México e Nova Zelândia, entre outros. O COI afirmou recentemente que acredita que a vacinação em massa de atletas, apesar de não ser uma exigência do Comitê Organizador Tóquio 2020 e nem do próprio COI para a participação nos Jogos, será importante para criar um ambiente mais seguro em Tóquio.

“Estamos ajudando a colocar mais vacinas no sistema público. Inclusive, acreditamos que os atletas podem incentivar a população a se vacinar, principalmente para a segunda dose, que muitos estão deixando de tomar. Todos saem ganhando com essa ação”, afirma o campeão olímpico e diretor geral do COB (Comitê Olímpico Brasileiro), Rogério Sampaio.

Atleta do tênis de mesa Joyce Oliveira é vacinada Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. Foto: Ale Cabral/CPB

A vacinação desta sexta-feira começou em Belo Horizonte, Brasília, Fortaleza, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. Tendo em vista as doações do COI, podem ser usados os imunizantes da Sinovac (Coronavac) ou da Pfizer, de acordo com a disponibilidade.

O COB disponibilizou o Centro de Treinamento Time Brasil, no Rio de Janeiro, e, em parceria com a Confederação Brasileira de Vôlei, o Centro de Desenvolvimento do Vôlei, em Saquarema. Além disso, o Comitê Paralímpico Brasileiro cedeu o seu Centro de Treinamento em São Paulo.

O COB levará os atletas, integrantes das comissões técnicas e seu staff para a capital mais próxima de onde estão para tomar essa vacina.

Os demais credenciados serão liberados para se vacinarem nas capitais mais próximas de suas cidades de origem, com o deslocamento por conta própria.

Mais publicações

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas publicações