Com 3,5 mil crianças na fila de creches, Santo André constrói dez unidades

 Obras estão em andamento e custarão R$ 6 milhões cada uma; Prefeitura fez parceria com o governo federal

creches
Creche no Jardim Alzira Franco está com 90% das obras concluídas. Foto: Divulgação/PSA-

Com 3,5 mil crianças na fila das creches, Santo André começará a entregar unidades neste ano para diminuir o déficit de vagas. Com cerca de 90% das obras concluídas, a creche Guaratinguetá II, está entre as unidades a serem inauguradas. Situada no Jardim Alzira Franco, ela terá capacidade para atender 350 crianças. Essa é uma das dez creches em construção simultaneamente na cidade. Ao lado desta creche está sendo construída outra unidade, a Guaratinguetá I, que já está com cerca de 60% das obras concluídas e terá a mesma capacidade de atendimento.

A partir do início das entregas das novas unidades, em abril, vamos começar a reduzir a fila de espera, que hoje é de 3,5 mil vagas, com a expectativa de acabar com o déficit. Com isso, estamos resolvendo um problema de mais de 18 anos, já que desde 2000 não é tomada nenhuma providência efetiva no sentido de resolver essa questão”, disse o prefeito Paulo Serra. A creche Guaratinguetá II tem previsão de entrega para o segundo semestre deste ano e fica na avenida Guaratinguetá, 775.

Além das duas unidades no Jardim Alzira Franco – ambas ficam atrás da creche Manoel Campestrini, que já funciona no local –, também estão sendo construídas duas creches no Jardim Santo André, duas no Jardim Mirante, uma no Jardim Rina, uma no bairro Cata Preta, uma no bairro Tamarutaca, além de uma no Parque Erasmo Assunção, que está em fase inicial de obras.

A previsão é de que todas as unidades sejam entregues até 2020. “Estou muito satisfeito com o andamento das obras. Afinal, entregar dez creches para cerca de 3,5 mil crianças em praticamente três anos de gestão é uma vitória muito grande. Ainda mais no momento econômico que vivia o país e a nossa cidade, que estava com um rombo imenso nas contas, considerado quase que impagável”, reforçou o prefeito.

As creches estão sendo construídas por meio de convênio com o governo federal, pelo programa Proinfância (Programa Nacional de Reestruturação e Aquisição de Equipamentos para a Rede Escolar Pública de Educação Infantil), que estabelece ao Ministério da Educação a responsabilidade por 75% dos custos de cada creche e o município fica responsável pelos 25% restantes.

Cada unidade demanda investimento de cerca de R$ 6 milhões. Todas as creches possuem o mesmo padrão arquitetônico. Os prédios têm três patamares, onde estão distribuídas sete salas de aula, três berçários, sala multimídia e brinquedoteca, além de toda estrutura de creche, como lactário e lavanderia. A área construída é de 2.859,50 m².

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*