Campanha de combate à leucemia é o 1º projeto aprovado de Thiago Auricchio

Matéria prevê a criação do ‘Fevereiro Laranja’ com ações de conscientização e combate à doença

 

Projeto do deputado Thiago Auricchio prevê a criação do ‘Fevereiro Laranja’ com ações de conscientização e combate à leucemia. Foto: Divulgação

Na semana em que completou sete meses de mandato, o deputado estadual Thiago Auricchio (PL) teve seu primeiro projeto de lei aprovado na Assembleia Legislativa de São Paulo. Trate-se do PL 568/2019 que prevê a criação do ‘Fevereiro Laranja’ com ações de conscientização e combate à leucemia durante todo o mês na rede pública estadual de saúde.

“Nosso objetivo é alertar os moradores de São Paulo sobre a importância dos cuidados com a saúde, da realização constante de exames. A leucemia é um câncer que atinge a medula óssea e quando tem um diagnóstico precoce a chance de cura é muito maior. É uma ação educativa e preventiva”, explica o deputado estadual.

A leucemia é um câncer que ocorre na formação das células sanguíneas e pode atingir de crianças a idosos, sua principal característica é o acúmulo de células doentes na medula óssea. Existem mais de 12 tipos da doença, com quatro primárias que são a leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (CLL).

“Os sintomas costumam ser vagos e as pessoas confundem com gripes ou outras doenças mais comuns. Por isso, o Fevereiro Laranja tem grande importância no combate à leucemia. Queremos municiar a população com o máximo possível de informações sobre a doença”, pontua Thiago Auricchio.

Algumas manifestações da leucemia são: febre ou calafrios, fadiga e fraqueza persistente, infecções frequentes ou graves, perda de peso sem motivo aparente, nódulos linfáticos inchados, desconforto abdominal, entre outros. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), em 2018, a expectativa do órgão era o surgimento de 10.800 novos casos da doença.

“A expectativa é que a gente possa contribuir com uma política eficaz para o diagnóstico precoce e dar agilidade no tratamento. Fico feliz que os deputados tenham compreendido a importância do tema e aprovado a proposta. Não tenho dúvida que o governador Doria será sensível a causa e sancionará nossa lei”, conclui o parlamentar.