Bairro Jardim, em Sto.André, vive onda de assaltos; assista vídeos

Prefeitura designou viatura da Guarda Municipal para ficar 24 horas no local; região fez abaixo-assinado com 4 mil assinaturas

 

Os moradores do Bairro Jardim, em Santo André, reclamam que vivem onda de violência. São roubos, furtos, assaltos, invasão de prédio e até sequestro. Os moradores fizeram até um abaixo-assinado com 4 mil assinaturas e entregaram na Prefeitura. Desde o fim do último mês uma viatura da GCM (Guarda Civil Municipal) fica no bairro 24 horas. No período de 1º de março a 30 de abril foram registrados 35 roubos diversos e 90 furtos e roubos de veículos.

De acordo com Francisco Montiani Martins, membro de um grupo de empresários do bairro, foi a mobilização da comunidade que conseguiu mais segurança para essa região. “Antes da chegada da viatura havia mais de três assaltos por dia. Já tivemos casa assaltada, prédio invadido, assaltos a mão armada, roubos e carros roubados à luz do dia”, disse o empresário.

Viatura da CGM desde 25 de abril fica 24 horas no Bairro Jardim. Foto: Divulgação/moradores

Montiani procurou o ABCD Jornal para dizer que uma reportagem publicada recentemente sobre designação da viatura para o Bairro Jardim causou polêmica porque moradores de outras localidades afirmaram que também querem o mesmo. “Concordo que a cidade é enorme e também precisa de viaturas em outras localidades, mas as pessoas precisam se organizar como nós fizemos. Temos até abaixo-assinado”, afirmou.

O morador Valdir de Souza disse que estava em uma farmácia quando criminosos entraram e levaram celular, alianças e ainda ameaçaram agredir pessoas idosas. “Infelizmente, o bairro Jardim vive uma onda de violência e as autoridades não deveriam pensar só em momento político. Precisam resolver esse problema da segurança que preocupa todos os moradores da cidade”, avaliou.

Nivaldo Dallaqua, o Vadão, que tem comércio há 16 anos na rua das Figueiras, também ressaltou que foi o aumento da criminalidade no bairro que motivou um grupo de empresários e comerciantes se mobilizarem. “As pessoas saem de casa e são assaltadas, o comercio sofre com roubos. O absurdo é tanto que caixa de luz de um comércio foi levada à luz do dia”, lamentou.

Vadão afirmou que o fato de a viatura da GCM ficar no bairro 24 horas causou repercussão na cidade. “Tem gente que reclama que não tem na periferia. A segurança virou um problema no Brasil, não é só no bairro jardim e o poder público precisa ficar atento a isso. Nos nos organizamos e conseguimos”, disse.
O comerciante salientou que um dos problemas sérios em Santo André é a Cracolândia, que fica próxima ao núcleo habitacional Tamarutaca. “Nenhum governo resolveu esse problema até hoje. Tá cheio de gente lá e ninguém faz nada”, finalizou.

Pedido dos moradores

Sobre a viatura que foi colocada no bairro Jardim, a Prefeitura disse ter tomada a iniciativa para intensificar a fiscalização no bairro a pedido dos moradores, tendo em vista o aumento de ocorrências na região. “A região é atendida pela Operação Delegada Municipal, que realizou 332 operações em 65 bairros da cidade desde a sua criação, em maio de 2017.”

Reunião entre moradores e representantes da Prefeitura. Foto: Divulgação

De acordo com a Prefeitura, antes da designação da viatura, houve uma reunião na associação de moradores do bairro com a presença da equipe da Secretaria de Segurança Cidadã que determinou, conforme solicitação dos moradores, as diretrizes de monitoramento do bairro.

O ABCD Jornal publicou reportagem na última semana em que disse que o a viatura faz ronda 24h no bairro Jardim, o mesmo onde o prefeito mora, mas os moradores questionaram o fato e disseram que o real motivo da viatura no local são os problemas de segurança que a região vive.

Os moradores ainda afirmaram que o problema da violência não é exclusivo do bairro Jardim e sim de todos os municípios brasileiros.