Auricchio divulga primeira morte por coronavírus em São Caetano

Trata-se de uma homem de 89 anos que morreu nesta quinta-feira; outros seis óbitos são investigados  

 

Auricchio divulga primeira morte por coronavírus em São Caetano. Foto: Reprodução

 

O prefeito de São Caetano, José Auriccho Júnior, divulgou na noite desta terça-feira (31/03) a primeira morte por coronavírus na cidade. Trata-se de um homem de 89 anos, que estava internado no Hospital Oswaldo Cruz, em São Paulo. O paciente tinha neoplasia (tumor).

“Infelizmente tivemos o primeiro óbito. Fica aqui o nosso pesar à família.  Já incluímos esse óbito no nosso boletim diário. Infelizmente, teremos a confirmação de mais óbitos por coronavírus nos próximos dias”, disse o prefeito.

Auricchio se referiu a outras seis mortes investigadas com suspeita de serem por Covid-19. Entre os pacientes que morreram está um homem de 72 anos, com comorbidades, que estava internado no Hospital Maria Braido e foi ao óbito no dia 23. Nesse mesmo dia uma mulher de 61 anos, internada no Albert Sabin, também faleceu. Ela tinha várias doenças (cardiovascular, hipertensão, diabetes).

Um dia depois morreu no mesmo hospital uma mulher de 96 anos, também com comorbidades (cardiovascular, hipertensão e problemas pulmonares crônicos). No dia 25, um homem de 55 anos faleceu  no Hospital das Acácias, em Santo André. Ele tinha problemas decorrentes de obesidade.

Em 26 de março, São Caetano registrou duas mortes suspeitas por coronavírus, sendo um homem de 64 anos que tinha diabetes e morreu dentro de casa e uma mulher de 92 anos que estava internada no Hospital Estadual Mario Covas. A paciente tinha doenças (cardiovascular e  hipertensão)

“É provável que haja confirmação desses seis óbitos por coronavírus. Os exames estão parados no Instituto Adolfo Lutz saiam, porque há 12 mil na fila. Não é má vontade do Estado, é que são muitos casos”, informou Auricchio.

A secretária de Saúde de São Caetano, Regina Maura Zetone, disse que a cidade terá nos próximos dias 40 mil testes por conta de uma iniciativa do Consórcio Intermunicipal de adquirir os Kis para os sete municípios da Região do ABCD.