Atila é notificado sobre impeachment e tem 10 dias para se defender

 Prefeito de Mauá está preso na Penitenciária do Tremembé após acusação da Polícia Federal de pagamento de mensalinho a 21 vereadores

 

notificado
Atila foi preso pela PF em 13 de dezembro. Foto: Reprodução/ TV Globo

O prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), foi notificado nesta quinta-feira (24/01) sobre os dois processos de impeachment que tramitam contra ele na Câmara desde 16 de janeiro. O socialista foi preso em 13 de dezembro pela PF (Polícia Federal) durante a Operação Trato Feito. A acusação é de que o chefe do Executivo pagava mensalinho a 21 dos 23 vereadores, além de um suplente. A acusação é de que o prefeito recebia de empresas contratadas da Prefeitura R$ 500 mil e dividia com os parlamentares. Atila nega.

Às 12h40 desta quinta-feira, em cumprimento ao rito preceituado pelo Decreto Lei 201/67, o senhor Atila Jacomussi, prefeito de Mauá, foi notificado pessoalmente sobre os dois processos de cassação de seu mandato, instaurados na Câmara Municipal de Mauá. Um servidor da direção administrativa do Legislativo Mauaense colheu as assinaturas do prefeito, após tratativas iniciadas nesta quarta-feira, com a direção da Penitenciária Dr. José Augusto César Salgado, na cidade de Tremembé -SP”, diz a nota oficial da Câmara.

A partir dessa notificação, o prefeito tem o prazo de dez dias a contar a partir desta sexta-feira ( 25/01), para apresentar sua defesa prévia, por escrito, elencar as provas e arrolar no máximo dez testemunhas.