Assassino de secretário de Esportes de Atila é condenado a 15 anos de prisão

Criminoso foi a júri popular nesta terça-feira; viúva espera uma condenação maior

 

Sandro Pacolla, secretário de Esportes de Mauá, foi morto em 2017, primeiro ano de mandato de Atila Jacomussi. Foto: Reprodução

 

Carlos Eduardo Castro Zilli, de 38 anos, assassino de Sandro Pacolla, de 50 anos, secretário de Esportes e Lazer do prefeito de Mauá, Atila Jacomussi, em 2017, foi condenado a 15 anos, seis meses e 27 dias de prisão.  O julgamento ocorreu nesta terça-feira (01/10). O júri popular  levou 10 horas para analisar o caso. A sentença foi proferida às 21h35.

Paccola levou um tiro no rosto (olho) e no peito em 17 de maio de 2017, em frente a sua residência, no Jardim Maringá. O assassino usou uma espingarda. Zilli, que era vizinho de Pacolla discutiu com o então secret´rio por conta de um emprego que ele teria prometido para ele na Prefeitura.

O secretário morreu 22 dias depois de levar os tiros. Após saber da morte do filho, Álvaro Paccola não suportou a dor, enfartou e morreu. Ambos foram velados e enterrados juntos.

“Esse homem causou uma tragédia em nossa família. Enterrei meu sogro e meu marido ao mesmo tempo. Meu marido faleceu às 20h30 e meu sogro às 3h da manhã.”, disse a viúva do secretário, Rose Pacolla.

A esposa de Paccola esperava uma condenação maior “Ele pegou 15 anos de prisão. A gente esperava mais, por conta da gravidade e a motivação, mas infelizmente o júri entendeu diferente. O promotor vai analisar se vai recorrer da sentença”, afirmou.

1 Comentário

Comments are closed.