Após ataque em Suzano, 33 famílias vão a plantão do Estado sobre indenização

Muitos são pais de alunos que não foram atingidos fisicamente no atentado, mas se sentem traumatizadas com o que aconteceu

 

Estado vai indenizar sete famílias, sendo cinco de alunos e duas de funcionárias da Escola Raul Brasil,. Foto: Reprodução

Desde sexta-feira (15/03), a Procuradoria Geral do Estado (PGE) faz atendimentos a familiares de alunos da Escola Estadual Professor Raul Brasil, em Suzano, onde cinco alunos e duas funcionárias foram mortos durante ataque na última semana. Outros dois jovens responsáveis pelo massacre se mataram depois.

O objetivo do plantão é esclarecer dúvidas jurídicas relacionadas ao caso. Até o momento, foram atendidas 33 famílias, algumas com mais de uma criança matriculada na instituição. Segundo a Procuradora Geral do Estado, Lia Porto Corona, que foi acompanhar o andamento dos atendimentos, muitas das pessoas que procuraram o plantão são familiares de alunos que, ainda que não atingidos fisicamente no atentado, estão traumatizadas com o que aconteceu.

O plantão deve acontecer até esta segunda-feira (18/03), das 9h às 17h, na Diretoria de Ensino – Regional Suzano (Av. Mogi das Cruzes, 175 – Parque Suzano, Suzano).

Foi publicado no Diário Oficial do Estado desta sexta o decreto nº 64.145, de 14 de março de 2019, que autoriza o pagamento da indenização e formaliza a constituição da Comissão Executiva, que será dirigida pela Procuradora Geral do Estado e formada também pelas secretarias da Educação, Segurança Pública e Assistência Social e membros convidados da Defensoria Pública. A Comissão avaliará individualmente os casos e fixará o valor de cada indenização de acordo com a lei e o posicionamento da justiça.

 

massacre
Jovens matam duas funcionárias e cinco alunos da da Escola Raul Brasil. Foto: Divulgação

A Secretaria de Estado da Educação emitiu comunicado neste domingo sobre o retorno das atividades na Escola Estadual Professor Raul Brasil

Veja a programação

1- Na segunda-feira (18/3) a escola será reaberta apenas para professores e funcionários, para traçar o planejamento e estruturação de atividades de acolhimento e preparação psicológica, com o apoio de várias secretarias do Governo de São Paulo e da Prefeitura de Suzano, além de profissionais do Instituto de Psicologia da USP, Unicamp, Centros de Atenção Psicossocial (Capes) da Prefeitura, entre outras instituições.

2- A partir da próxima terça-feira (19/3), a escola será reaberta para os alunos participarem de atividades de acolhimento. Serão atividades livres para apoio psicológico, oficinas, terapia em grupo, rodas de conversa, depoimentos e compartilhamento de boas práticas. Para dar todo o suporte aos professores e servidores da escola, as equipes técnicas de especialistas do Governo de São Paulo e da Prefeitura de Suzano estarão na unidade ao longo de toda esta semana.

3 – Com objetivo de mudar o ambiente escolar, toda estrutura interna já está sendo pintada e revitalizada pela Seduc-SP, com o apoio da comunidade escolar.

4 – Uma rede de apoio com instituições públicas e privadas foi formada desde o primeiro dia do episódio na escola. Esta rede atuou durante todo este fim de semana, realizando atendimento psicológico e especializado na Diretoria Regional de Ensino de Suzano e na Capes de Suzano, bem como fazendo visitas domiciliares às famílias das vítimas.

5 – A definição sobre a data da retomada das aulas será tomada pela Direção da escola, nesta semana.