Após 42 dias, trabalhadores retornam ao trabalho na Ford São Bernardo

 Funcionários iniciaram paralisação depois que montadora informou que fecharia unidade

trabalhadores
Assembleia com os trabalhadores na Ford e retorno ao trabalho. Foto: Adonis Guerra/SMABC

 

Após 42 dias paralisados, os trabalhadores na Ford São Bernardo retornaram ao trabalho na manhã desta terça-feira (02/04). Funcionários iniciaram paralisação depois que montadora informou que fecharia unidade. A volta ocorre em um momento que a Caoa decidiu comprar a fábrica para produzir caminhões.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wagner Santana, a decisão faz parte da estratégia de luta. “Para a fábrica interessa produzir, pois tem compromissos comerciais. De nossa parte, nos interessa que os investidores tenham como conhecer o funcionamento da fábrica, como é o processo de produção e, principalmente, a qualificação dos trabalhadores”, ressaltou.

O coordenador do Comitê Sindical, José Quixabeira de Anchieta, o Paraíba, comunicou aos trabalhadores que as negociações com a empresa para o encerramento dos contratos estão avançando. Ele adiantou que o pagamento da PLR (Participação nos Lucros e Resultados) já está garantido e que ainda estão em discussão itens como data-base deste ano e valor das indenizações. Assim que todos os pontos forem contemplados, o acordo será apresentado aos trabalhadores. “Estamos num caminho positivo. Não tínhamos luz no fim do túnel, mas já começa a aparecer a possibilidade de dar certo. Falta pouco para fechar os pontos desse pacote de negociação e colocar em votação com vocês numa futura assembleia”, relatou Paraíba.

Wagnão destacou que o Sindicato está lutando para que haja um bom acordo no encerramento dos contratos. “A Ford precisa pagar um preço pela sua decisão. Temos um acordo que garante a estabilidade até novembro, porém não queremos aguardar até lá. Nós gostaríamos de já em abril realizar uma assembleia trazendo uma boa notícia”, contou.

Antes do anúncio do fechamento da unidade, os metalúrgicos estavam trabalhando três dias por semana na Ford São Bernardo, devido ao volume de produção. Agora no retorno, segundo informou Paraíba, serão dois dias de trabalho por semana, o necessário para produzir 1,7 mil automóveis (Fiesta) e 843 caminhões até o fechamento da planta.