ABCD poderá abrir restaurantes, bares e salões de beleza dia 6

Governador João Doria também fez anúncio nesta sexta-feira sobre nova quarentena que vai de 29 de junho a 14 de julho

 

Governador João Doria fez anúncio nesta sexta-feira sobre nova quarentena que vai de 29 de junho a 14 de julho. Foto: Divulgação

 

O governador JoãoDoria divulgou nesta sexta-feira (26/06) a nova etapa da flexibilização da quarentena no Estado de São Paulo. A Região do ABCD saiu da fase laranja e avançou para a amarela, o que significa a abertura de restaurantes, bares e salões de beleza a partir de 6 de julho.

O governador afirmou que a quarentena continua. “Esse é o sexto período da quarentena que começa no dia 29 de junho e vai até o dia 14 de julho. Estamos completando 100 dias de quarentena no próximo dia 1º de julho”, disse o governador.

Além dos sete municípios do ABCD, passam para a fase amarela a Capital Paulista e outras sete cidades.

As regiões de Araçatuba, Rio Preto, Sorocaba e Bauru retornaram à fase vermelha. Marília, Ribeirão Preto, Presidente Prudente e Registro não avançaram e seguem, também, com autorização para o funcionamento apenas dos serviços essenciais. “No interior, como era era esperado, nós temos, sim, uma presença e um crescimento muito importante da epidemia que se traduz aqui tanto no número de casos, como de internações e de óbitos, e é por isso que está sendo feito um trabalho muito grande para o controle da pandemia e pra melhoria da capacidade hospitalar”, disse a secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen.

Na fase amarela, a flexibilização prevê abertura limitada a 40% da capacidade de todos os setores previstos na laranja e seis horas de expediente, além da retomada controlada e parcial de atendimento presencial em salões de beleza e barbearias, bares e restaurantes – o consumo local só será liberado em áreas arejadas e segundo rígidos protocolos sanitários estabelecidos no Plano SP.

Apesar do aval do Governo do Estado para o avanço à fase amarela em parte da Região Metropolitana de São Paulo, a recomendação é para que as prefeituras só liberem o atendimento presencial em salões de beleza e barbearias, bares e restaurantes a partir do dia 6 de julho. O Prefeito de São Paulo, Bruno Covas, já adiantou que vai seguir a orientação de médicos e especialistas do Centro de Contingência do coronavírus.

Comportamento da pandemia

Segundo o status dos indicadores do Plano São Paulo nesta quarta atualização, a capacidade hospitalar para atendimento a pacientes graves de Covid-19 é satisfatória em praticamente todas as regiões do estado. Porém, o aumento no número de casos na maior parte do interior provocou o regresso à restrição total em praticamente metade do território estadual.

Na média estadual medida a cada sete dias e fechada na última quarta (24/06), houve redução na taxa de ocupação de leitos de terapia intensiva para Covid-19 de 66,5% para 65,5%, além de aumento na média de vagas por cem mil habitantes de 19,1 para 19,7.

Na mesma comparação do período atual ao anterior, a média estadual de casos de infectados por coronavírus subiu 35%, enquanto que a taxa de internações caiu 2%. A taxa semanal de mortes por Covid-19 subiu 11% em relação à reclassificação da semana passada.

Em números absolutos, o mês de junho até esta sexta-feira (26) registrou 138.889 novos casos em relação a maio, que teve 81 mil infecções confirmadas no período. Já as internações de junho somaram 46,092, com queda em relação ao total de 46.735 do mês anterior. As mortes por Covid-19 em junho vitimaram 6.144 pessoas no estado, ante 5.240 em maio.

 

Novo mapa atualizado com a situação das regiões do estado no Plano São Paulo de flexibilização da quarentena — Foto: Divulgação/Governo de SP